MESTRADO EM ARQUEOLOGIA

O curso de mestrado em Arqueologia é parte integrante da formação básica nesta área profissional, segundo a legislação em vigor. Habilita para a direção de trabalhos arqueológicos, tanto no domínio da arqueologia preventiva e de salvamento, como no desenvolvimento de projetos de investigação e valorização arqueológica. Permite, assim, uma saída para vários tipos de mercado de trabalho, na administração pública central, regional e local, nos centros de investigação, nas empresas, em cooperativas ou associações.

O curso permite adquirir formação aprofundada nas grandes áreas de especialização temática da arqueologia, abrangendo todos os períodos cronológicos do passado humano, bem como o desenvolvimento de metodologias transversais desta disciplina. Procurando capacitar para a generalidade das situações decorrentes do trabalho em arqueologia, desenvolvem-se áreas singulares no contexto do ensino superior em Portugal e na Europa.

O curso inclui formação teórica e prática nos seus vários níveis. Está intimamente ligado ao trabalho de unidades de investigação bem classificadas pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia. Permite, pois, o contacto com docentes, conferencistas convidados, investigadores e profissionais a trabalhar na NOVA FCSH, nacionais e estrangeiros. Apoia-se em projetos arqueológicos desenvolvidos em várias regiões de Portugal, mas também em missões arqueológicas internacionais. Assenta numa rede de protocolos com instituições estatais, regiões autónomas, autarquias locais, empresas, centros de investigação e associações, garantindo assim uma estreita ligação entre a universidade e o tecido profissional.

 

CANDIDATURAS 2020/21

_____

Podem candidatar-se aos mestrados da NOVA FCSH os titulares de Licenciatura ou equivalente legal­. Os critérios de seleção são expostos no edital de cada ano letivo (disponível no topo desta página).

Estrutura curricular

Duração: 2 anos / 4 semestres Créditos: 120 ECTS

O primeiro ano do curso é letivo, devendo o aluno realizar seis seminários, cinco dos quais obrigatoriamente na área científica de arqueologia, de acordo com os seus interesses e orientações profissionais. 

O segundo ano do curso não é letivo, sendo o regime de ensino tutorial. O aluno escolherá o tipo de trabalho a desenvolver, mais prático ou mais teórico, através das três modalidades oferecidas: estágio com relatório, trabalho de projeto ou dissertação.

Coordenação

Corpo docente

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer