Ribat da Arrifana vai ter Centro Interpretativo

Graça Fonseca, Ministra da Cultura, foi uma das personalidades que, esta semana, esteve na Câmara Municipal de Aljezur para a assinatura do Plano de Ação Plurianual para a implementação e gestão do Centro Interpretativo do Ribat da Arrifana. Este espaço arqueológico, classificado com Monumento Nacional desde 2013 e considerado como uma das mais importantes descobertas arqueológicas do século XXI, tem sido escavado por Mário e Rosa Varela Gomes, arqueólogos da NOVA FCSH.

O documento, assinado pelo Ministério da Cultura, o município de Aljezur, a Universidade NOVA de Lisboa e o Fundo Aga Khan, estabelece as bases de uma parceria estratégica para a investigação, preservação, desenvolvimento e divulgação daquele sítio arqueológico. Prevê também novas escavações, “atividades de investigação e de preservação do local, e o desenvolvimento dos conteúdos a apresentar no novo equipamento”.

O Rîbat da Arrifana é referenciado como convento de monges guerreiros muçulmanos e começou a ser edificado em meados de 1130 da era cristã por iniciativa de Ibn Qasi, personagem histórica natural de Silves, líder da oposição aos Almorávidas e temporariamente aliado de D. Afonso Henriques.

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer