Investigadores da NOVA FCSH descobrem navio afundado por minas alemãs na barra do Tejo

Investigadores do centro História, Territórios e Comunidades (HTC) da NOVA FCSH localizaram e identificaram os destroços do cargueiro Terje Viken, afundado por um submarino alemão a 16 de abril de 1916, ao largo de Cascais. Trata-se da primeira vítima da Marinha alemã em águas portuguesas durante na Grande Guerra, agora encontrada a 65 metros de profundidade.

“O Terje Viken era um cargueiro com 105 metros de comprimento e 3,58 toneladas, registado em Tonsberg, na Noruega que, na tarde do dia 17 de abril de 1916, quando navegava rumo a Lisboa com uma carga de trigo proveniente de Galveston, no Texas, colidiu com várias minas, colocadas nesse mesmo dia à entrada da barra do rio Tejo pelo submarino alemão U73”, revela Alexandre Monteiro, arqueólogo marítimo e investigador da NOVA FCSH.

O Terje Viken foi o primeiro navio a afundar-se em águas portuguesas em resultado da declaração de guerra feita pela Alemanha a Portugal no mês anterior. Juntamente com o destroço do caça-minas Roberto Ivens, este naufrágio constitui o segundo testemunho material da Grande Guerra até agora conhecido no estuário do Tejo.

A investigação do HTC que permitiu a descoberta do Terje Viken foi uma ação conjunta levada a cabo com o Instituto Hidrográfico da Marinha Portuguesa (IH).

U73 com a posição da largada das minas

 

Posição do Terje Viken
A Capital noticia o afundamento
Sonar de Varrimento Lateral Terje Viken (Instituto Hidrográfico – Marinha)

 

 

 

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer