Paulo Ferreira de Castro

Gabinete: 424

pf.castro@fcsh.unl.pt

Unidade de investigação: Centro de Estudos de Sociologia e Estética Musical (CESEM - NOVA FCSH)

Áreas de investigação: Filosofia da música, estética musical, Musicologia histórica (ca. 1860-1960; especialmente fim de século e modernismo), Análise musical (ca. 1860-1960; especialmente fim de século e modernismo), Teoria e prática da hermenêutica, retórica e semântica musical, Teoria e prática da encenação de ópera

Formação
AnoÁreaGrauInstituição
2007Filosofia da músicaDoutorUniversity of London
1988Produção e encenação de óperaMestreUniversity of Leeds
1983MusicologiaMestreUniversité de Strasbourg
  • A Network of Meaning(s)  
  • Against Interpretation, 50 Years On  
  • Compor a várias vozes  
  • From ‘Good Other’ to ‘Ideal Self’  
  • From “Good Other” to “Ideal Self”  
TítuloFonte de financiamentoInícioFim
Supervisão do projecto Partituras PortugalSom (edição de partituras de música portuguesa dos séculos XVIII a XXI), a convite da Direcção-Geral das Artes [Instituto das Artes]/Ministério da Cultura, desde 2006
Membro da equipa do projecto de investigação “O Teatro de S. Carlos: as artes do espectáculo em Portugal”/Área: “Recepção de Wagner em Portugal” (PTDC/EAT/70038/2006), financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (CESEM, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas)
Membro da equipa do projecto de investigação “Teatro para rir: Comédia musical em teatros de língua portuguesa (1849-1900)” (PTDC/EAT_MMU/098104/2008) , financiado pela Fundação para a Ciência e a Tecnologia (CESEM, Faculdade de Ciências Sociais e Humanas)
CargoInícioFim
Presidente da Direcção da Associação Portuguesa de Ciências Musicais/SPIM, 2010-2013
Membro do Conselho Editorial do projecto de edição musical "Portugalsom", DGArtes, 2006-
Director Artístico/Director do Teatro Nacional de S. Carlos (Lisboa), 1992-2000
Crítico musical do semanário Expresso, 1989-1992
Programador cultural (diversas entidades)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer