Investigadores da NOVA FCSH apresentam visão para o futuro das Humanidades

As Humanidades têm a capacidade de criar um real impacto na sociedade e ganhar peso nesta era digital, defendeu um grupo de jovens investigadores da NOVA FCSH durante a última Conferência Europeia das Humanidades (CEH). Ana Cristina Falcato e Leonor Medeiros, docentes da NOVA FCSH, são duas das coordenadoras do relatório “Humanidades para o Futuro: uma nova Agenda Europeia”, aprovado na CEH, onde se avalia o estado atual da investigação nesta área de conhecimento, identifica desafios e traçam perspetivas para o futuro das Humanidades.

As recomendações são o resultado do trabalho desenvolvido pelo Fórum de Jovens Investigadores sobre o Futuro das Humanidades (Youth Forum on the Future of the Humanities), criado no âmbito da conferência europeia. Os próximos passos incluem a subscrição do relatório final por jovens investigadores de todo o mundo e a criação de uma rede que lhes permita continuar a ter uma voz ativa na definição de estratégias no campo da investigação, gestão e financiamento em Humanidades.

Durante a CEH foi também aprovada a Declaração de Lisboa, que sugere a instituição de uma área dedicada à relação entre as humanidades e as ciências em todos os níveis de ensino superior. Caso a recomendação seja seguida, os subscritores acreditam que, no prazo de 10 a 15 anos, os investigadores podem estar mais bem preparados para os novos desafios da ciência. Toda a comunidade é convidada a subscrever o documento no website da Conferência.

Além das docentes da NOVA FCSH, o relatório sobre as Humanidades foi também coordenado por Gonçalo Marcelo (CECH, Universidade de Coimbra / Católica Porto Business School), Raimundo Henriques (FCUL, Universidade de Lisboa), e Telmo Pereira (Universidade Autónoma de Lisboa / Instituto Politécnico de Tomar / UNIARQ, Universidade de Lisboa).

Os investigadores em Humanidades em início de carreira que queiram subscrever a declaração devem manifestar esse interesse para o endereço YouthForum_EHC@fct.pt

Conheça o vídeo de apresentação do relatório.

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer