Amélia Frazão-Moreira

Gabinete: Torre A, 402

amoreira@fcsh.unl.pt

Unidade de investigação: Centro em Rede de Investigação em Antropologia (CRIA - NOVA FCSH)

Áreas de investigação: Antropologia, Antropologia do Ambiente, Etnobotânica/Etnobiologia/Etnoecologia, Contextos Africanos

Formação
AnoÁreaGrauInstituição
2001Antropologia SocialDoutorISCTE
1991SociologiaMestreUTAD
1991AntropologiaLicenciadoFCSH/UNL
  • Developing an Evidence-Based Conservation Strategy for Cantanhez National Park, Guinea-Bissau  
  • Extensive Overlap in the Selection of Wild Fruits by Chimpanzees and Humans  
  • Breaking Through Disciplinary Barriers  
  • Environmental psychology must better integrate local cultural and sociodemographic context to inform conservation  
  • Primate occurrence across a human-impacted landscape in Guinea-Bissau and neighbouring regions in West Africa  
Título
"Chimpanzee tool-use in Guinea-Bissau and behavioural complexity" (FCT-EXPL/IVC-ANT/0997/2013), 2014, IR: Cláudia Sousa† (CRIA-FCSH/NOVA), Kimberley Hockings (CRIA-FCSH/NOVA). Membro da equipa
“Where humans and chimpanzees meet: assessing sympatry throughout Africa using a multi-tiered approach" (FCT-PTDC/CS-ANT/121124/2010, 2011-2014), IR Kimberley Jane Hockings (CRIA-FCSH). Membro da equipa.
“Avaliação da atitude social da população em áreas de reintrodução do lince e determinação de temas chave no território português” financiado pela Associação Iberlinx, LIFE IBERLINCE (LIFE+NATUREZA 10 NAT/ES/000570 IBERLINCE para a “Recuperação da distribuição histórica do Lince ibérico (Lynx pardinus) em Espanha e Portugal) (2014-2015).
“Conhecimento botânico local. Uma forma situada e híbrida de relação com a natureza?” (Projeto CRIA, 2012). Coordenação.
“Para uma “geografia” social. História oral, ocupação do espaço e conhecimento de espécies não-humanas na Guiné-Bissau” (Projeto CRIA, 2012). Co-coordenação (com Cláudia Sousa).
“Portuguese Castles aboard II. Heritage, Tourism and Portuguese cultural cooperation in African contexts", (FCT-PTDC/HAH/67235/2006, 2007-2011), IR Maria Cardeira da Silva (CRIA-FCSH). Membro da equipa. Estudo de caso – “Retóricas e concepções da natureza e dos animais nos períodos colonial e pós-colonial”.
"Ethnobotany of the Northeastern Region of Portugal: local knowledge, plants and uses" (FCT -POCTI/ANT/59395/2004, 2005-2009). Investigadora responsável .
"Chimpanzee distribution and relation with local human communities in coastal area of Guinea-Bissau" (FCT-POCI/ANT/57434/2004, 2005-2009), IR Cláudia Sousa (CRIA-FCSH). Membro da equipa.
Portuguese castles abroad. Heritage and cultural co-operation between Portugal and the arab-islamic countries" (FCT-POCTI/ANT/48629/2002), IR Maria Cardeira da Silva (CRIA-FCSH, 2004-2006). Membro da equipa. Case study - "The gum arabic. From the caravans to the modern appropriation in a Mauritania oasis"
“Etnobotânica, o uso e a gestão das plantas aromáticas e medicinais e a sua utilização sustentável como contributo para a valorização do meio rural”, promovido por várias entidades (Direcção Regional de Agricultura de Entre Douro e Minho, Covicôa, Instituto Nacional de Investigação Agrária/Estação Agronómica Nacional, Ervital – Plantas Aromáticas e Medicinais, Lda., Escola Superior Agrária de Castelo Branco, Escola Superior Agrária de Elvas, Instituto de Conservação da Natureza, Universidade de Trás-os-Montes e Alto Douro, 2001-2004). Consultora.
"Da mente cultural ao pensamento letrado: o insucesso do processo escolar” (JNICT/ISCTE/91, 1991-1994), IR Raul Iturra (ISCTE). Membro da equipa.
Cargo
Membro do Órgão de Avaliação (Expert) da Convenção da Salvaguarda do Património Cultural Imaterial da UNESCO, para os ciclos de 2015 a 2018, representante do Grupo I dos Estados não membros do Comité (2015 e 2016).
Coordenadora do 2º ciclo (fevereiro a setembro 2016)
Presidente do CRIA (outubro de 2012 a outubro 2015 )
Membro da Direção do CRIA. Coordenadora do Pólo da FCSH (2009-2012)
Coordenadora do Mestrado de Antropologia/Natureza e Conservação (2008 a 2016)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer