A história da ocupação humana de um dos emirados árabes é contada no Museu Nacional de Arqueologia pelo IAP

Chama-se “Identidade e Cultura. Património Arqueológico de Sharjah (EAU)” e revela a história da ocupação humana de Sharjah (Emirados Árabes Unidos) desde a Pré-História até à atualidade, através de 170 artigos expostos no Museu Nacional de Arqueologia (MNA), em Lisboa, até finais de 2020.

A exposição resulta da parceria científica entre a NOVA FCSH, através do Instituto de Arqueologia e Paleociências (IAP), e a Alta Autoridade Arqueológica de Sharjah (AAAS), um dos sete emirados que constituem os Emirados Árabes Unidos (EAU).

A Missão Arqueológica Portuguesa em Sharjah está atualmente a trabalhar em Quelba/Khor Kalba e alguns resultados dessas escavações já são visíveis nesta exposição. É coordenada por Rui Carita, Rosa Varela Gomes e Mário Varela Gomes, investigadores do IAP. O último assina também o projeto museográfico, juntamente com Rita Varela Gomes e André Rama Pires.

Os portugueses foram os primeiros europeus a estabelecer-se na região sudeste da Península Arábica e a criar relações com os líderes locais, um dos quais antepassado da atual Família Real de Sharjah, explica o Museu em comunicado.

 

 

 

 

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer