Fantasmas à deriva: travessias da escravidão rumo ao Brasil contemporâneo

Luciana Martinez

Abstract


Neste ensaio, pretendo articular determinada noção de fantasma com certa concepção sobre a imagem para pensar sobre retornos ou ressurgências, no Brasil contemporâneo, de ideias e práticas remanescentes dos tempos em que o tráfico negreiro esteve ativo no país e no mundo. Mais especificamente, analisarei imagens e discursos que apontem para permanências e abriguem vestígios da escravidão no Brasil atual. Para tal, parto da gravura Navio Negreiro, de Johann Moritz Rugendas (1803-1858), possivelmente uma das representações mais difundidas das embarcações que cruzaram o Atlântico, entre os séculos XVI e XIX, levando africanos para serem escravizados nas Américas. O objetivo é observar, a partir desta e de outras imagens e formações discursivas, como fantasmas da escravidão assombram a sociedade brasileira. Para Trouillot (1995), a escravidão é a um só tempo passado e presença viva. Um passado que retorna ao presente não como cópia, mas como repetição e diferença. Fantasmas, por sua vez, podem ser entendidos como as assombrações que nos lembram que o que parece ter sido pacificado, resolvido, aquilo que parece encerrado em outro tempo, está vivo e seus retornos muitas vezes se dão de maneira intangível (Gordon 2008, Pile 2005). Com isto em mente, pergunto: em que imagens ou discursos dos nossos dias a gravura de Rugendas poderá persistir? Que rastros, mais ou menos tangíveis, os navios negreiros do século XIX terão deixado no presente?

Keywords


Atlantic crossings; ghosts; slavery; image; Brazil

References


Assmann, Aleida. 2007. “Ghosts of the Past.” Litteraria Pragensia, 17(34), 5-19.

Benjamin, Walter. 2019. As passagens de Paris. Traduzido por João Barrento. Lisboa: Assírio & Alvim.

Benjamin, Walter. 1987. “Teses sobre o conceito de história.” Em Walter Benjamin, Obras escolhidas – vol. 1: Magia e técnica, arte e política: Ensaios sobre literatura e história da cultura. Traduzido Sergio Paulo Rouanet. São Paulo: Editora Brasiliense, 222-232.

Derrida, Jacques. 1994. Espectros de Marx: o estado da dívida, o trabalho do luto e a nova Internacional. Traduzido por Anamaria Skinner. Rio de Janeiro: Relume-Dumará.

Didi-Huberman, Georges. 2017. Diante do tempo. Traduzido por Luís Lima. Lisboa: Orfeu Negro.

Didi-Huberman, Georges. 2013, A imagem sobrevivente: História da arte e tempo dos fantasmas segundo Aby Warburg. Traduzido por Vera Ribeiro. Rio de Janeiro: Editora Contraponto e Museu de Arte do Rio.

Didi-Huberman, Georges. 1998. O que vemos, o que nos olha. Traduzido por Paulo Neves. São Paulo: Editora 34.

Gordon, Avery F. 2008. Ghostly Matters: Haunting and the Sociological Imaginations. Minneapolis and London: University of Minnesota Press.

Gomes, Laurentino. 2019. Escravidão (vol. 1): Do primeiro leilão de cativos em Portugal até a morte de Zumbi dos Palmares. Rio de Janeiro: Globo Livros.

Lissovsky, Mauricio. 2014. Pausas do Destino: Teoria, arte e história da fotografia. Rio de Janeiro: Mauad.

Nagel, Alexander. 2011. "Twenty-Five Notes on Pseudoscript in Italian Art.” Res: Anthropology and aesthetics 59-60, 228-248.

Pile, Steve. 2005. Real Cities: Modernity, Space and the Phantasmagorias of City Life. London: Sage Publications.

Rediker, Marcus. 2007. The Slave Ship: A Human History. London: Viking.

Rodrigues, Jaime. 2017. “Navio negreiro.” Em Dicionário da Escravidão e Liberdade, organizado por Lilia M. Schwarcz e Flávio Gomes. São Paulo: Companhia das Letras

Schwarcz, Lilia M., e Flávio Gomes (orgs.). 2017. Dicionário da Escravidão e Liberdade. São Paulo: Companhia das Letras

Sharpe, Christina. 2016. In the Wake: On Blackness and Being. Durham and London: Duke University Press.

Trouillot, Michel-Rolph. 1995. Silencing the Past: Power and the Production of History. Boston: Beacon Press.

Velasco, Fernando, e Laila Melchior. 2017. “Tormenta em mar de lápides: estética, memória e narração no Monumento dos Judeus Assassinados da Europa.” Arquivo Maaravi: Revista Digital de Estudos Judaicos da UFMG. Belo Horizonte, v. 11, n. 21, 1-15.

Notícias e artigos de jornais

Neto, Adalberto. 2015. “Insegurança em viagem do ônibus 474”. O Globo. Rio de Janeiro, 19/01/2015.

Sem autor. 2015. “‘Não chegarão’, diz Pezão sobre menores responsáveis por tumultos em ônibus que vão às praias”. R7. Rio de Janeiro, 23/09/2015. https://noticias.r7.com/rio-de-janeiro/nao-chegarao-diz-pezao-sobre-menores-reponsaveis-por-tumultos-em-onibus-que-vao-as-praias-23092015. Último acesso em: 09/01/2020.

Sem autor. 2015. “Imagens mostram jovens se arriscando em cima de ônibus no Rio”. G1 Rio. Rio de Janeiro, 21/09/2015. http://g1.globo.com/rio-de-janeiro/noticia/2015/09/imagens-mostram-jovens-se-arriscando-em-cima-de-onibus-no-rio.html.Último acesso em: 09/01/2020.

Banco de dados

Slave Voyages: https://www.slavevoyages.org/


Refbacks

  • There are currently no refbacks.




Copyright (c) 2020 Luciana Martinez

Creative Commons License
This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.

Indexation 

Evaluation systems:

ERIH PLUS  (The European Reference Index for the Humanities and the Social Sciences)

LATINDEX e ProQuest / CSA (Cambridge Scientific Abstracts)


Journal of Communication and Languages |  ISSN 2183-7198

 Licença Creative Commons

This work is licensed under a Creative Commons Attribution-NonCommercial 4.0 International License.