06
Jul
Workshop em Desenho Etnográfico
Página de Diário Gráfico
Data: 6 a 10 Jul
Horário: 10h00 às 15h00
Duração: 25h | 2 ECTS
Morada: NOVA FCSH | Sala T 1 - Torre B - Piso 2
Área: Sociedade Ambiente e Território
Docente responsável: Sónia Vespeira de Almeida
Docente: Daniela Rodrigues
Docente: Joana Miguel Almeida
Acreditação pelo CCPFC: Sim - Formação geral e adequada (dimensão científica e pedagógica): Professores dos grupos 200, 240, 400 e 600
Ensino presencial
Este curso vai ser lecionado na modalidade de Ensino Presencial

 

Objetivos

____

A 4ª edição do Workshop em Desenho Etnográfico visa explorar as potencialidades do desenho para a realização de uma antropologia gráfica – “anthropography” (Ingold 2011). Os objetivos principais deste curso são:

1. Enquadrar, com recurso a exemplos de trabalhos realizados, a utilização do desenho na história da Antropologia, nomeadamente a sua dupla utilização para registo de dados etnográficos e/ou para difundir conhecimento antropológico;

2. Entender as capacidades heurísticas do desenho em contextos etnográficos, através da exploração de soluções gráficas de observação e descrição em diferentes contextos de análise.

 

Programa

____

Este workshop teórico-prático visa ensaiar cruzamentos possíveis entre desenho e antropologia, enquanto disciplinas do olhar. Na história dos métodos do pensamento etnográfico, o desenho ocupou um lugar variável e intermitente. No passado, o desenho utilizado na pesquisa etnográfica parecia seguir certas tendências representacionais – como o desenho anatómico e o de cultura material, retirados de outras disciplinas como a botânica ou a arqueologia. Nos últimos anos, todavia, além de ter voltado a assumir um certo destaque (Afonso 2004; Kuschnir, 2014; Cabau, 2016; Cabau; Almeida; Mapril, 2018), o desenho na antropologia, liberto de normalizações formais, tem sido entendido como uma ferramenta vocacionada para a observação e estranhamento do real. Nesse sentido, ao longo deste workshop serão proporcionados espaços de reflexão teórico-prática através de um processo de “thinking through making” (Ingold 2011). Além dos métodos de observação e representação referidos para investigar a cultura material e elementos orgânicos, pretendemos explorar técnicas de registo gráfico de coisas, pessoas e outros seres vivos, bem como das relações que estes estabelecem entre si. Para tal, realizaremos exercícios de observação em três contextos distintos.

Sessão 1: O que foi e o que pode ser o desenho etnográfico? Apresentação dos cruzamentos entre desenho e antropologia na história da disciplina; O registo de dados brutos do terreno / uma forma de comunicação de resultados. Exercícios introdutórios de treino do olhar e desnaturalização de elementos do quotidiano.

Sessão 2, 3, 4: Sessões práticas de desenho em contextos urbanos. Sessões dedicadas a exercícios práticos de observação/representação em diferentes contextos da cidade de Lisboa como um parque, uma feira ou um mercado, com atenção às relações entre coisas, pessoas e outros seres vivos, visando experimentar várias técnicas de representação gráfica, estimulando, sobretudo, o treino do olhar.

Sessão 5: Compilação e apresentação de resultados; Exposição e reflexões finais.

 

Bibliografia

____

  • AFONSO, Ana, 2004 “New graphics for old stories: representation of local memories through drawings” in PINK, Sarah, KURTI, László & AFONSO, Ana Isabel, 2004, Working Images – Visual Research and Representation in Ethnography, London: Routledge.
  • CABAU, Philip, 2016 “Crús e descosidos. Reflexões em torno do ensino do desenho da antropologia”, in Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 5, No 2-1, 33-48
  • Cabau; Almeida; Mapril, 2018, Desenho Etnográfico. Um curso breve duas vezes / Ethnographic drawing. Two times a workshop, Lisboa: Palavrão.
  • INGOLD, Tim. 2011 Being alive: essays on movement, knowledge and description, New York: Routledge.
  • KUSCHNIR, Karina, 2014 “Ensinando antropólogos a desenhar: uma experiência didática e de pesquisa”, Cadernos de Arte e Antropologia, Vol. 3, No 2-1, 23-46.

 

PROPINA

____

Ver tabela em Informações úteis.

 

docentes

____

Daniela Rodrigues – antropóloga com formação paralela em desenho e filme documental, tem um percurso profissional e académico que cruza as práticas artísticas com as da pesquisa etnográfica. Colaborou em projetos multi-disciplinares com associações, centros de investigação, cooperativas de consumo e produtoras de cinema e realizou filmes, exposições e publicações gráficas com diversos coletivos entre Portugal, o Brasil e o leste europeu. É doutoranda integrada no CRIA e pertence ao NAVA — Núcleo de Antropologia Visual e da Arte. Atualmente termina um doutoramento em Políticas e Imagens da Cultura e da Museologia.

Joana Miguel Almeida –  doutoranda no Programa FCT em Antropologia: Políticas e Imagens da Cultura e Museologia (CRIA/ISCTE-IUL/NOVA FCSH), no âmbito do qual se encontra a terminar uma tese de doutoramento. Investigadora do CRIA – Centro em Rede de Investigação em Antropologia e membro do NAVA – Núcleo de Antropologia Visual e da Arte. É mestre em Antropologia – Culturas Visuais pela NOVA FCSH e licenciada em Pintura pela FBAUL. Tem, desde, 2013, realizado pesquisa nas áreas de cruzamento entre antropologia e arte contemporânea, e património e memória.

Sónia Vespeira de Almeidaantropóloga e Professora Auxiliar no Departamento de Antropologia da NOVA FCSH. Doutorou-se no ISCTE-IUL (2008). Atualmente desenvolve investigação sobre práticas artísticas e arquivos etnográficos. É Diretora-Adjunta do Conselho de Redação da Análise Social, publicação do Instituto de Ciências Sociais-Universidade de Lisboa e membro da Comissão Editorial da revista Cadernos de Arte e Antropologia (NVBA – Brasil). Publicações (seleção): Desenho Etnográfico. Um curso breve duas vezes / Ethnographic drawing. Two times a workshop (com Philip Cabau e José Mapril), 2018; Os Arquivos dos Antropólogos (com Rita Ávila Cachado) 2016; Camponeses, Cultura e Revolução: Campanhas de Dinamização Cultural e Acção Cívica do MFA (1974-1975), 2009; Dossier temático “Antropologia, etnografia e práticas artísticas”. Cadernos de Arte e Antropologia, 2013 (com Ilka Boaventura Leite); ”Archiving Anthropology in Portugal”, Anthropology Today (com Rita Ávila Cachado), 2019; “Retrospective Ethnography on twentieth century Portugal: fieldwork encounters and its complicities”, Social Anthropology, 2017 (com Sónia Ferreira); “Dictatorships and Revolutions in Portugal and Chile: ethnography, memory and invisibilities”, History and Anthropology, 2015 (com Sónia Ferreira).

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos da Escola de Verão (EV)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer