25
Set
2020
Data: 25 Set a 26 Mar
Horário: sextas-feiras, das 18h00 às 21h00
Duração: 12h | 1 ECTS / Módulo
Morada: NOVA FCSH | Sala T 7 - Torre B - Piso 2
Área: Sociedade, Ambiente e Território
Docente responsável: Rui Santos
Docente: Mónica Freitas
Docente: Marco Meneguzzo
Acreditação pelo CCPFC: Não

 

Objetivos

____

O curso pretende capacitar os alunos para identificarem, descreverem e analisarem os valores e modelos de gestão incorporados nas agendas políticas e nas estratégias da responsabilidade social das organizações. Pretende-se ainda apresentar e discutir alguns modelos de responsabilidade social adotados no setor público e privado em Portugal e em outros países da Europa para que os alunos possam através do método comparativo perceber as diferenças e similaridades. A par disto, o curso tenciona discutir o papel e os contributos da inovação social na criação de valor partilhado no interior das organizações através da exposição de alguns estudos de caso aos alunos. Ao fim do curso, espera-se que os alunos sejam capazes de fazer uma análise crítica dos temas da responsabilidade social e da inovação social e de enumerar os seus principais contributos para o cumprimento dos objetivos do milénio para o desenvolvimento sustentável.

 

Programa

____

  • Módulo 1: Levar os alunos a identificarem, analisarem e explicitarem o papel das motivações e dos valores éticos na implementação da responsabilidade social (RSE) através da leitura e discussão dos autores referidos no programa. Em termos de resultados, espera-se que os alunos sejam capazes de justificar o papel que as motivações e os valores éticos dos gestores, das organizações e da sociedade em geral desempenham na implementação da RSE.

    Módulo 2: Capacitar os alunos para analisarem os tipos de redes de stakeholders que são consolidadas em torno da responsabilidade social através da identificação dos principais atores/setores produtivos envolvidos, dos recursos transacionados entre eles, dos projetos desenvolvidos ao abrigo da cooperação. Para o efeito, serão trabalhados dentro de sala de aula, os autores que compreendem a responsabilidade social como sendo algo inerente à lógica das redes. Em termos de resultados, espera-se que os alunos sejam capazes de verificar que impactes as motivações e os valores éticos dos gestores e das organizações desempenham nos tipos de projetos e de redes de parcerias consolidadas.

    Módulo 3: Incentivar os alunos a realizarem a análise de estudos de caso de responsabilidade social implementada no setor público, privado e terceiro sector, através da clarificação das motivações/valores éticos invocados pelos atores, seguido da identificação dos projetos e dos tipos de redes de stakeholders consolidadas em torno da responsabilidade social. Para o efeito, serão mostrados aos alunos estudos de casos de responsabilidade social desenvolvidos na Europa para que possam escolher aqueles que desejam analisar. Como resultado, espera-se que os alunos sejam capazes de enumerar as principais diferenças e similaridades quanto aos tipos de motivações/valores éticos invocados, dos programas desenvolvidos e das redes de stakeholders consolidadas no setor público, privado e terceiro setor.

    Módulo 4: Levar os alunos a identificarem, analisarem e explicitarem os conceitos e as práticas associadas à inovação social tal como os seus contributos para a implementação da responsabilidade social. Para o efeito, serão trabalhados os autores que compreendem a inovação social como sendo uma ferramenta de implementação da RSE a par da filantropia e do voluntariado.  Espera-se que os alunos sejam capazes de explicitar as razões que sustentaram os pontos de vistas apresentados pelos autores estudados e qual é a visão pessoal que têm acerca do tema.

    Módulo 5: Incentivar os alunos a realizarem a análise de estudos de caso de inovação social desenvolvidos na Europa. Será pedido aos alunos que identifiquem os principais contributos dos programas de inovação social implementados em termos de desenvolvimento sustentável. Espera-se que os alunos sejam capazes de identificar e de justificar porque acreditam que os programas de inovação social estudados contribuíram para o cumprimento dos objetivos de sustentabilidade definidos pelas Nações Unidas.

    Módulo 6: Levar os alunos a identificarem, analisarem e justificarem as similaridades e as diferenças existentes entre os termos “responsabilidade social” e “criação partilhada de valor”. Em termos de resultados pretendidos, espera-se que os alunos saibam defender o seu ponto de vista sobre qualquer um dos temas abordados durante o curso utilizando como suporte os pressupostos teóricos e os dados empíricos trabalhados.

     

  • 1º Semestre

    MÓDULO

    ÁREA TEMÁTICA

    DOCENTE(S)

    DATAS

    Teorias da Responsabilidade Social

    Motivações, Valores Éticos e Instrumentos da Gestão

    Mónica Freitas

     

    Setembro: 25

    Outubro: 2, 9 e 16

    Teoria dos Stakeholders e Gestão das Partes Interessadas

    Perfil e Formas de Funcionamento das Redes de Stakeholders da Responsabilidade Social

    Marco Meneguzzo

    Outubro: 23 e 30

    Novembro: 6 e 13

    Métodos de Análise de Estudo de Caso Aplicados à Responsabilidade Social

    Casos de Responsabilidade Social no Setor público, Privado e Terceiro Setor

    Mónica Freitas

     

    Novembro: 20 e 27

    Dezembro: 4 e 11

     

    2º Semestre

    MÓDULO

    ÁREA TEMÁTICA

    DOCENTE(S)

    DATAS

    Teorias da Inovação Social

    Motivação para o Solucionamento de Problemas Sociais Produtos/Serviços que atendem necessidades da sociedade. Articulação em Redes de Parcerias/Stakeholders

    Marco Meneguzzo

    Fevereiro: 12, 19 e 26

    Março: 5             

    Métodos de Análise de Estudo de Caso Aplicados à Inovação Social

    Estudo de Casos de Inovação Social

    Mónica Freitas

    Março: 12, 19 e 26

    Abril: 2

    Criação Partilhada de Valor

    Conceitos e Práticas de Gestão Associadas com a Aceleração da Competitividade e Gestão das Partes Interessadas/Stakeholders

    Marco Meneguzzo

    Abril: 9, 16, 23 e 30

     

     

Bibliografia

____

  • Almeida, Filipe. 2010. Ética, Valores Humanos e Responsabilidade Social das Empresas. Cascais: Principia.

  • Blowfield, Michael, e Alan Murray. 2008. Corporate Responsibility: A Critical Introduction. Oxford e New York: Oxford University Press.

  • Garriga, Elizabet, e Domènec Melé. 2004. “Corporate Social Responsibility Theories: Mapping the Territory”. Journal of Business Ethics, 53(1): 51–71. http://link.springer.com/article/10.1023/B%3ABUSI.0000039399.90587.34

  • Rego, Arménio, Miguel Pina Cunha, Nuno Costa, Helena Gonçalves, e Carlos Cabral-Cardoso. 2006. Gestão Ética e Socialmente Responsável. Lisboa: RH.

  • Scherer, Andreas Georg, e Guido Palazzo. 2011. “The New Political Role of Business in a Globalized World: A Review of a New Perspective on CSR and its Implications for the Firm, Governance and Democracy”. Journal of Management Studies (48)4: 899-931. doi 10.1111/j.1467-6486.2010.00950.x

  • Vogel, David. 2006. The Market for Virtue: The Potential and Limits of CSR. Washington: The Bookings Institution.

  • Santos, Maria João Nicolau. 2010. “Repensar a Responsabilidade Social: Da Lógica Individual à Lógica de Rede”. Comunicação à 1ª Conferência Ibero- Americana de Responsabilidade Social. CES-Lisboa, 4-5 de fevereiro.

  • Zadeck, Simon, John Sabapathy, Helle Dossing, e Tracey Swift. 2003. Responsible Competitiveness: Corporate Responsibility Clusters in Action. London e Copenhagen: AccountAbillty e The Copenhagen Centre. http://www.accountability.org/images/content/1/0/107/CR%20Clusters%20-%20Full%20Report.pdf

  • Porter, Michael E., e Mark R. Kramer. 1996. Clusters and Competition. Cambridge MA: Harvard University Press.

  • Esgaio, Ana Cláudia G., e Hermano Duarte de A. Carmo. 2014. “Parcerias em Contexto Local: Um Caminho para a Sustentabilidade? O Caso de Oeiras”. In Responsabilidade Social: Na Governação, nas Empresas e nas Organizações Não Empresariais: Do Diagnóstico à Ação, organizado por Maria João Santos, Fernando Miguel Seabra, Fátima Jorge, e Alice Costa, 33-53. Coimbra: Almedina.

  • Freitas, Mónica. 2016. “Responsabilidade Social no Setor da Saúde: Representações, Valores, Motivações e Instrumentos”. Tese de doutoramento em Sociologia submetida à prova pública na Universidade Nova de Lisboa em 08 de Janeiro de 2016. A investigação desenvolvida teve a orientação científica do Prof. Dr. Rui Santos da Universidade Nova de Lisboa e a co- orientação da Profa. Dra. Maria João Santos do Instituto Superior de Economia e Gestão ISEG. A aprovação final obtida foi “Bom por Unanimidade com Distinção”. http://hdl.handle.net/10362/20203

  • Colasanti, Nathalie, Frondizi, Rocco e Marco Meneguzzo. 2008. “Higher education and stakeholders’ donations: successful civic crowdfunding in an Italian university in Journal Public Money & Management. Volume 38, 2018 – Issue 4: 281- 288. Doi: https://doi.org/10.1080/09540962.2018.1449471

  • Howaldt, J. and M. Schwarz. 2010. Social Innovation:  Concepts, Research Fields and International Trends. Dortmund:  IMO International Monitoring, 2010.

  • Mulgan, G.,Tucker, S., ALI, R. and B. Sanders. 2007. Social Innovation: What it is, Why it Matters and How It Can Be Accelerated. London: Basingstoke Press.

  • OECD/EUROSTAT. 2005. Oslo Manual:  Guidelines for Collecting and Interpreting Innovation Data. 3rd ed. Paris: OECD Publishing.  

  • Phills, J.A., Deiglmeier, K.  and D.T. Miller. 2008. “Rediscovering Social Innovation”. Stanford Social Innovation Review: 33-43.

  • Meneguzzo, Marco; Frondizi, Rocco; Colasanti, Nathalie; Freitas, Mónica and Ricardo Altamira Vega. 2014. “1+1=3: How can Social Innovation Change Cultures and Create Public Value? Experiences in Southern European Countries” in Business- Government Relations and Social Enterprises. Lessons and Experiences from South- Eastern Europe. Chapter III: 179-195. Edited by Lucica Matei, Marco Meneguzzo, Cristina Mititelu. Dipartimento Study Imprensa Governo Filosofia, Universitá Tor di Vergata, Rome, EGPA/GEAP IIAS, IISA SNSPA. Bogdan Berceanu. ISBN 978-2-8027-5459-6

  • Meneses, João Wengorovius. 2016. “Gestão de Organizações e Criação de Valor Partilhado. Conceitos e Desafios Atuais do Empreendedorismo e da Gestão de Organizações”. Ed. Universidade Católica: Portugal. ISBN: 978972405291

  • Porter, Michael E., e Mark R. Kramer. 2011. “Creare Valore Condiviso” in Harvard Business Review Italia. Gennaio/ Febbraio Nº1/2: 68-85.

 

PREÇÁRIO

____

Por Módulo: Público em geral: 75 euros (por módulo) / Associado INATEL / ACP: 60  euros / Estudantes NOVA (licenciaturas, mestrados e doutoramentos/Alumni NOVA FCSH/ Estudantes de outras instituições de ensino superior: 60 euros).

 

NÚMERO DE CRÉDITOS (MEDIANTE AVALIAÇÃO)

____

  • Para estudantes universitários: 1 ECTS/Módulo (European Credit Transfer and Accumulation System)

 

Regime de avaliação

____

25% frequência, 25% participação nas discussões realizadas no contexto de sala de aula e 50% apresentação (por escrito/oral) do trabalho de conclusão do curso/módulo

NOTA: Os estudantes que queiram ser avaliados e obter os créditos ECTS, deverão informar o(s) docente(s) dessa opção. Os estudantes que assistam a pelo menos a 3/4 das sessões podem pedir um certificado de participação [6 €].

 

INSCRIÇÃO

____

Até 2 dias antes do inicio de cada módulo.

 

Docentes

____

Mónica de Melo Freitas, Doutorada em Sociologia Económica e Pós- Doutorada em Avaliação e Gestão de Serviços de Saúde. É investigadora integrada no Centro Interdisciplinar de Ciências Sociais da Universidade Nova de Lisboa desde 2010 e investigadora voluntária no MAHB (The Millenium Alliance for Humanity and the Biosphera). Foi investigadora convidada na Universidade de Stanford (EUA) em 2013, tendo participado na organização de vários eventos científicos no Brasil e em Portugal. Além disto, publicou vários artigos relacionados com a saúde em revistas indexadas e como capítulos de livros. Atualmente, encontra-se a desenvolver um estudo sobre as redes  de parcerias potenciadas pela introdução das novas tecnologias nos cuidados primários em Portugal. A par da investigação, encontra-se a trabalhar na publicação de um novo artigo tal como na organização de um workshop sobre “Os modelos de Gestão da Responsabilidade Social nos Hospitais Privados de Portugal.

Marco Meneguzzo é professor de Gestão Estratégica, Gestão Não- Lucrativa e Getão Pública na Universidade “Tor Vegata” de Roma e também professor de Gestão Pública, Não- Lucrativa e Gestão Cultural na Universidade Suíça Italiana em Lugano, Suíça. É ainda diretor do Grupo de Pesquisa do Governo e da Sociedade Civil (Departamento de Gestão e Direito, Universidade Tor Vergata) e do Laboratório para a Gestão da Saúde Pública na Faculdade de Economia da Universidade Suíça Italiana.  Ao nível mundial, foi professor visitante em cerca de 16 universidades (ex. Brasil, Argentina, Chile, Cuba, Jordânia, Bahrein, Tunísia, Angola Moçambique e Vietnam). A sua bibliografia conta com cerca de 21 livros, 58 capítulos de livros, 38 menções em jornais de Língua Italiana e 6 em Língua Inglesa e Portuguesa além de 38 artigos publicados em atas de congresso internacionais.

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos Livres de Longa Duração

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer