05
Jul
O fenómeno narrativo: olhares pluridisciplinares
Livro aberto (início século XVI), Museu Uffizi de Florença
Data: 5 a 16 Jul
Horário: 5, 6, 7, 8, 12, 13 e 14 de julho das 18h00 às 20h00 | 16 de julho das 18h00 às 19h00
Duração: 15h
Morada: NOVA FCSH |
Área: Línguas, Literaturas e Culturas
Docente responsável: Carlos F. Clamote Carreto
Docente: Carlos Augusto Ribeiro
Docente: Margarida Esperança Pina
Docente: Maria de Jesus Cabral
Docente: Nuno Júdice
Docente: Sara Graça da Silva
Acreditação pelo CCPFC: Sim - Formação geral e adequada (dimensão científica e pedagógica): Professores dos Grupos 200, 210, 220, 300, 320, 330, 340, 350 e 410
Ensino Presencial
 Ensino Presencial (Se as condições sanitárias permitirem)

 

Objetivos

____

  • Oferecer uma perspetiva pluridisciplinar sobre a narrativa enquanto fenómeno complexo, pluridimensional e multifacetado;
  • Apreender o imaginário e as dinâmicas narrativas através da leitura e comentário de suportes e práticas diacrónica e tipologicamente diferenciados (conto tradicional, relatos de pacientes, tratados teológicos e científicos, obras poéticas, pintura, cinema, etc.);
  • Pensar a narrativa como instrumento privilegiado de mediação entre os vários domínios do conhecimentos e as diversas práticas sociais e culturais;
  • Reforçar a articulação entre investigação e transferência do conhecimento em contexto de ensino universitário e de abertura à comunidade em geral.

 

Programa

____

  • Mito, narrativa e identidade (Carlos Carreto);
  • Contar (com) a medicina (Margarida Esperança-Pina e Maria de Jesus Cabral);
  • Contar(-se) (Nuno Júdice);
  • Curiosamente paralelos: literatura, evolução das espécies e filogénese (Sara Graça Silva);
  • Dar a ver uma história: narrativa e imagem (Carlos Augusto Ribeiro);
  • Da pluridisciplinaridade à interdisciplinaridade: síntese, debate e perspetivas (todos os intervenientes).

 

Bibliografia

____

  • Arnaud, Jean (dir.) (2018). Espaces d’interférences narratives. Art et récit au XXIe siècle. Toulouse: Presses Universitaires du Midi.
  • Charon, Rita et al. (dir.) (2016). The Principles and Practice of Narrative Medicine. Oxford: Oxford University Press.
  • Júdice Nuno (2006). O Fenómeno Narrativo Do Conto Popular à Ficção Contemporânea. Lisboa: Colibri.
  • Ricœur, Paul (1990). Soi-même comme un autre. Paris: Seuil.
  • Hühn, Peter; Pier, John; Schmid, Wolfand; Schönert, Jörg (org.). Handbook of Narratology. Berlim/Boston: De Gruyter , 2009 (em complemento, ver: The Living Handbook of Narratology – https://www.lhn.uni-hamburg.de/index.html).

 

PROPINA

____

Ver tabela em informações úteis

 

docentes

____

Carlos Augusto Ribeiro – investigador integrado do IELT e artista plástico. Doutorado em Ciências da Comunicação pela NOVA FCSH com a tese «Não Estamos Sós Sob a Pele – Uma Exposição Possível Acerca de Duplos». É autor de textos sobre arte contemporânea em cruzamento com outros domínios disciplinares (literatura e ciências da comunicação) e temas (corpo, imagem, tecnologia, ambiente, paisagem, arte e medicina populares). Lecionou Artes Plásticas (Ar.Co, Fórum Dança e ESAD-CR) e foi o autor de opção transdisciplinar Duplo nas Artes (ESAD-CR) ou Cópias, Duplos, Máscaras e Clones na Arte e na Literatura (curso de verão na NOVA FCSH) e co-criador de curso livre Todas as Artes Contam – Intersecções: Conto, Pintura e Cinema. Tem atividade no domínio das artes plásticas: exposições, capas de livros e ensaios visuais integrados em livros. Última exposição individual: Escavação, Galeria Monumental, Lisboa, 2017.

Carlos Carreto – professor Associado na NOVA FCSH onde desempenha atualmente as funções de coordenador executivo do Departamento de Línguas, Culturas e Literaturas Modernas e de sub-coordenador científico do IELT. Os seus principais campos de lecionação e de investigação incidem sobre as áreas de Literatura Francesa, Teoria da Literatura, Estudos sobre o Imaginário e Estudos Medievais. Para além de investigador integrado do IELT, é também membro colaborador do Instituto de Estudos Medievais (NOVA FCSH), do GRIS-France e investigador associado do LITT&ARTS (Université Grenoble Alpes). Membro fundador e membro permanente da comissão de redação da revista interdisciplinar luso-francesa Sigila e co-diretor dos Cadernos do CEIL. Revista Multidisciplinar de Estudos sobre o Imaginário, as suas publicações têm incidido sobre as relações dinâmicas entre Tradição, Mito e Literatura, questionando a forma como o imaginário cultural e ideológico dos séculos XII e XIII moldou as concepções, representações e práticas da narrativa desenvolvidas durante esse período

Margarida Esperança Pina – professora Auxiliar na NOVA FCSH onde tem lecionado nas áreas dos Estudos Literários e da Tradução. É colaboradora do Centro de Estudos Anglísticos da Universidade de Lisboa. As suas áreas de interesse incidem na Literatura Francesa e na Literatura e outras artes (História da Alimentação, História da Medicina/Medicina Narrativa). Algumas publicações: Saber e Sabor Medieval, Lisboa, Caleidoscópio (2010). Representações do Mito na História e na Literatura (org.) Évora, Centro de Estudos em Letras (2014). O Riso. Teorizações. Leituras. Realizações (org.), Lisboa, Caleidoscópio (2015).

Maria de Jesus Cabral – doutorada em Línguas e Literaturas Modernas – especialidade de Literatura Francesa (Século XIX) pela Universidade Católica Portuguesa (2005), com uma tese sobre Mallarmé, é atualmente investigadora auxiliar (2019) da Faculdade de Letras da Universidade de Lisboa, onde é membro integrado do CEAUL /Projeto em Humanidades médicas, co-Investigadora principal do projeto SHARE – Saúde e Humanidades Atuando em REde e coordenadora do grupo LEA! Lire En Europe Aujourd’hui. Docente universitária desde 1994, as suas áreas de investigação e ensino incluem domínios como: poética do teatro simbolista e modernista, leitura literária, poética da tradução e, mais recentemente Humanidades médicas e Medicina narrativa. Tem inúmeras publicações nestas estas áreas e sobre autores como Mallarmé, Maeterlinck, Eugénio de Castro.

Nuno Júdice – formou-se em Filologia Românica pela Faculdade de Letras de Lisboa. É professor jubilado da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, onde se doutorou em 1989 com uma tese sobre Literatura Medieval (O espaço do conto no texto medieval, Lisboa, Vega, 1991). Publicou antologias da Poesia do Futurismo português e da poesia de Guerra Junqueiro e fez as edições de Novela despropositada de Frei Simão António de Santa Catarina (Regra do Jogo, 1997), dos Sonetos de Antero de Quental (Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1994), do Cancioneiro de D. Dinis (Teorema, 1998) e dos Infortúnios trágicos da Constante Florinda de Gaspar Pires Rebelo (Teorema, 2005). Tem uma colaboração regular em jornais e revistas com crítica literária e crónicas. No campo do ensaio sobre temas de poesia, ficção e teoria literária publicou A era do Orpheu (Teorema, 1986), O espaço do conto no texto medieval (Vega, 1991), O processo poético (Imprensa Nacional-Casa da Moeda, 1992), Viagem por um século de literatura portuguesa (Relógio d’Água, 1997), As máscaras do poema (Aríon, 1998), A viagem das palavras (Colibri, 2005), O fenómeno narrativo (Colibri, 2005), A certidão das histórias (Apenas Livros, 2006). Em janeiro de 2009 assumiu as funções de diretor da revista Colóquio-Letras da Fundação Calouste Gulbenkian. É poeta e ficcionista.

Sara Graça da Silva – doutorada em 2008 com a tese Sexual Plots in Charles Darwin and George Eliot: Evolution and Manliness in Adam Bede and The Mill on the Floss (Keele University, UK). Principais interesses de investigação: relação entre a literatura e ciência, darwinismo e teorias evolutivas, estudos de género, aplicações filogenéticas ao estudo da diversidade cultural humana, leituras evolutivas da literatura, estudo da moralidade e emoção. Desde 2013, desenvolve no IELT – Instituto de Estudos de Literatura e Tradição o seu projeto de pós-doutoramento sobre a origem de alguns contos tradicionais bem como padrões de moralidade nos mesmos através de uma perspetiva evolutiva, com colaborações com o Centro para a Co-evolução da Biologia e Cultura (Durham, UK) e o Centro para a História das Emoções (Max Planck, Berlim). Apresenta regularmente a sua investigação em conferências nacionais e internacionais, tendo contribuído para o Victorian Literature Handbook, Dictionary of Nineteenth Century Journalism, Utopian Studies, Editora Caleidoscópio, Cambridge Scholars Publishing, Routledge, Open Science, PNAS, entre outros.

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos da Escola de Verão (EV)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer