25
Jan
Data: 25 Jan a 5 Fev
Horário: dias úteis das 18h00 às 20h30
Duração: 25h | 2 ECTS
Área: Comunicação, Política, Linguagem e Filosofia
Docente responsável: Marta Sofia Ferreira Faustino
Docente: Marta Sofia Ferreira Faustino
Acreditação pelo CCPFC: Não
Ensino a Distância
Este curso vai ser lecionado na modalidade de Ensino a Distância

 

Objetivos

____

  • Compreender a noção de “filosofia como terapia”, bem como de “exercícios espirituais” e de “tecnologias do si” no contexto da filosofia antiga;
  • Adquirir uma compreensão global da filosofia antiga como “modo de vida”, “arte da vida”, ou “terapia da alma”, seguindo as interpretações de Pierre Hadot e Michel Foucault, com especial foco nas escolas do período helenista (em particular, o Estoicismo e o Epicurismo);
  • Compreender a evolução desta tradição de pensamento ao longo da história da filosofia e a recuperação de algumas das suas práticas e exercícios em configurações terapêuticas contemporâneas, nomeadamente a psicoterapia;
  • Desenvolver competências básicas de leitura, interpretação e discussão de textos filosóficos.

 

Programa

____

De uma forma que se viria a tornar extremamente influente, Pierre Hadot e Michel Foucault produziram uma reinterpretação das origens da filosofia, segundo a qual, nos seus primórdios, a filosofia não terá consistido num corpo de conhecimentos teóricos, lógicos, abstratos, mas numa atividade eminentemente prática, com um forte pendor existencial, cujo objetivo era a transformação do indivíduo por forma a alcançar a vida boa, completa, feliz. Neste sentido, a filosofia tinha também, na Antiguidade, uma forte dimensão terapêutica, na medida em que a sabedoria que se procurava e alcançava não permitia aos indivíduos apenas saber mais, mas ser de outro modo – nomeadamente, de um modo mais autónomo, completo e feliz. Ser filósofo significava viver filosoficamente, razão pela qual os Antigos distinguiam a filosofia do mero discurso filosófico, que, desligado da sua aplicação prática, não passava de retórica ou sofística. A aplicação da teoria à prática concretizava-se a partir da prática quotidiana e consistente daquilo a que Hadot chamou “exercícios espirituais” e Foucault, na sua esteira, “tecnologias do si”. Hadot e Foucault definem estes exercícios ou tecnologias como um conjunto de operações que os indivíduos executavam sobre si próprios, por forma a transformarem-se a si mesmos e terem acesso à vida propriamente filosófica (e, portanto, completa, plena ou feliz) num processo em todos os sentidos equiparável a uma conversão. O presente curso dará particular atenção a esta dimensão mais prática ou espiritual da filosofia antiga. Procurar-se-á, por um lado, contextualizar estes exercícios no quadro da compreensão particular da filosofia como “terapia da alma”. Por outro lado, procurar-se-á oferecer uma compreensão aprofundada do tipo de exercícios praticados, incluindo a meditação e o exame de consciência, a escrita de cartas, diários e lembretes, a antecipação de males (praemeditatio malorum) e a preparação para a morte, o treino de uma disposição de aceitação e afirmação do destino, entre outros. Procurar-se-á ainda, sempre que possível, identificar a recuperação e reapropriação de algumas destas práticas espirituais antigas no contexto da psicoterapia contemporânea. O curso terá uma componente teórica de exposição de conteúdos e uma componente prática, que consistirá na leitura, análise e discussão de passagens selecionadas das obras de Epicuro, Epicteto, Séneca, Cícero, Lucrécio, Marco Aurélio, Hadot e Foucault. A primeira semana do curso será dedicada à exposição da noção de filosofia como terapia, e à sua ilustração através das filosofias dos epicuristas e dos estóicos. A segunda semana focar-se-á nos exercícios espirituais e tecnologias do si propostos por estas escolas, procurando contextualiza-los na filosofia antiga mas também adaptá-los às necessidades do mundo contemporâneo.

 

Bibliografia

____

  • EPICURO, Cartas, Máximas e Sentenças, Edições Sílabo, 2009.
  • FOUCAULT, M. A Hermenêutica do Sujeito. Curso dado no Collège de France, 1981-1982, Martins Fontes, 2006.
  • HADOT, P., Exercices Spirituels et Philosophie Antique, Albin Michel, 2002.
  • ROBERTSON, D., The Philosophy of Cognitive-Behavioural Therapy (CBT). Stoic Philosophy as Rational and Cognitive Psychotherapy, Karnac, 2010.
  • SÉNECA, Cartas a Lucilio, Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.

 

PROPINA

____

Ver tabela em Informações úteis.

 

docentes

____

Marta Sofia Ferreira Faustino estudou Ciências da Comunicação e Filosofia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (NOVA|FCSH). Doutorou-se em Filosofia, variante de Antropologia Filosófica, com a dissertação “Nietzsche e a Grande Saúde. Para uma Terapia da Terapia”, na mesma faculdade. É atualmente investigadora do IFILNOVA, onde coordena o Art of Living Research Group e desenvolve um projeto individual sobre a filosofia como modo de vida, com especial foco em Nietzsche, Hadot e Foucault. É autora de vários artigos e ensaios sobre Nietzsche, Foucault e os filósofos helenistas e co-editora de Nietzsche e Pessoa: Ensaios (Tinta-da-china, 2016) e Rostos do Si: Autobiografia, Confissão, Terapia (Vendaval, 2019). Leciona há vários anos sobre temáticas relacionadas com a do presente curso.

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos de ANO NOVO (CAN)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer