07
Jul
Data: 7 a 22 Jul
Horário: quartas e quintas-feiras das 14h00 às 17h00 | primeira semana haverá sessão apenas quarta-feira
Duração: 15h
Morada: NOVA FCSH | Auditório B3 (Piso 5) da Torre B
Área: História da Arte e Estudos Artísticos
Docente responsável: Pedro Florêncio
Docente: Pedro Florêncio
Acreditação pelo CCPFC: Não
Ensino Presencial
Ensino Presencial (Se as condições sanitárias permitirem)

 

Objetivos

____

Focando um conjunto de casos singulares na história do cinema documental, este curso pretende dar a conhecer experiências e metodologias cinematográficas capazes de reconfigurar e ampliar o entendimento da prática antropológica, clínica-pedagógica e diarística, para além da sua dimensão disciplinar.

  • Problematizar as possibilidades relacionais entre o cinema e o real;
  • Compreender a relação entre a experiência da filmagem e experiência do filme;
  • Entender a importância da metodologia na prática cinematográfica documental;
  • Conhecer modalidades de pesquisa, filmagem e montagem associados à ética antropológica, clínica, pedagógica e íntima;
  • Questionar a intermediação cinematográfica entre o Eu e o Outro.

 

Programa

____

Apresentação

Definição dos objetivos e do modelo de avaliação. Explicação dos conceitos gerais do curso. Introdução às relações entre alteridade, cinema e modos de produção associados à noção de experiência (expedição, observação clínica e prática diarística). Sugestões de leitura e visionamento para as próximas sessões.

Um olho inocente: o cinema ‘negocial’ de Robert Flaherty

Breve excursão pela biografia de Robert Flaherty. Problematização da relação entre cinema e antropologia. Considerações sobre a noção de ‘expedição’: técnicas de observação e aproximação ao mundo do Outro. Algumas categorias metodológicas indissociáveis da prática documental: tecnologia, distância e ética. As imagens da verdade e a verdade das imagens. Caso de estudo: das experiências mineiras na infância à realização de Nanook of the North (1922).

Uma clínica por vir: a potência do ‘gesto mínimo’ de Fernand Deligny

Breve contextualização da experiência profissional de Fernand Deligny com crianças e adolescentes autistas, bem como da sua rejeição das metodologias e categorias clínicas ou pedagógicas tradicionais. Problematização do conceito de “filmagem”, a partir da proposta de Deligny de uma “câmara como ferramenta pedagógica”. A potência do gesto cinematográfico de acordo com a noção comunitária de “rede”. Caso de estudo: da experiência no centro de acolhimento em Cévennes (França, 1968) à realização de Le moindre geste (1971).

Uma cartografia afetiva: a experiência da intimidade no cinema de Chantal Akerman

Breve excursão pela bio-filmografia de Chantal Akerman. O lugar do documentário na era da aceleração no capistalismo tardio. A auto-etnografia como técnica de observação e aproximação ao Outro. A intimidade e a duração como elementos da comunicabilidade cinematográfica. As imagens da intimidade e a intimidade das imagens. Casos de estudo: do monólogo interior de News from Home (1977) à experiência da morte materna em No Home Movie (2015).

 

Bibliografia

____

  • Akerman, Chantal (2019). My mother laughs. UK: Silver Press.
  • Bresson, Robert (2000). Notas sobre o Cinematógrafo. Porto: Porto Editora.
  • Calder-Marshall, Arthur (1963). The Innocent Eye – The Life of Robert J. Flaherty. New York: Harcourt, Brace & World, Inc.
  • Deligny, Fernand (2018). Vagabundos Eficazes – operários, artistas, revolucionários: educadores. Brasil, São Paulo: n-1 edições.
  • Florêncio, Pedro. Vislumbrando um gesto invisível no plano final de No home movie. 2021. https://www.apaladewalsh.com/2021/04/vislumbrando-um-gesto-invisivel-no-plano-final-de-no-home-movie/.

 

PROPINA

____

Ver tabela em informações úteis

 

docentes

____

Pedro Florêncio – Concluiu o Mestrado integrado em Ciências da Comunicação em 2015 pela NOVA FCSH, Doutoramento em Artes em 2018 pela Universidade de Lisboa Faculdade de Letras e Licenciatura em Cinema em 2011 pelo Instituto Politécnico de Lisboa Escola Superior de Teatro e Cinema. É Assistente Convidado na Universidade Nova de Lisboa Faculdade de Ciências Sociais e Humanas, Professor do ensino básico e secundário na ETIC – Escola de Tecnologias Inovação e Criação, Professor do ensino básico e secundário na Escola Profissional Jean Piaget e Professor responsável pelo Plano Nacional de Cinema, nos cursos profissionais de Animação Sociocultural, Artes de Espetáculo-Interpretação e Técnicas de Serviços Jurídicos no IDS – Instituto de Desenvolvimento Social. É membro investigador no projeto “O Cinema e o Mundo” do CEC (Centro de Estudos Comparatistas). Publicou 3 artigos em revistas especializadas. Possui 4 capítulos de livros e 1 livro. Co-editou um dossier temático dedicado ao tema “Cinema e Espaços Urbanos. Recebeu 12 prémios e/ou homenagens em festivais de cinema. Atua na área de Humanidades com ênfase em Artes e Estudos de Cinema.

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos da Escola de Verão (EV)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer