11
Jan
Data: 11 a 22 Jan
Horário: dias úteis das 18h00 às 20h30
Duração: 25h | 2 ECTS
Área: Comunicação, Política, Linguagem e Filosofia
Docente responsável: Marta Sofia Ferreira Faustino
Docente: Ana Falcato
Docente: Bartholomew Ryan
Docente: Dina Mendonça
Docente: Fábio Serranito
Docente: Gianfranco Ferraro
Docente: Hélder Telo
Docente: Luís Aguiar de Sousa
Docente: Marta Faustino
Acreditação pelo CCPFC: Não
Ensino a Distância
Este curso vai ser lecionado na modalidade de Ensino a Distância

 

Objetivos

____

  • Compreender a noção de emoção e dos estados afectivos relacionados, como os sentimentos e as emoções.
  • Adquirir noções básicas sobre as principais teorias filosóficas sobre as emoções, desde a Antiguidade (Platão, Aristóteles e os Estóicos) até à filosofia contemporânea (Nietzsche, Kierkegaard, Heidegger, Sartre, Bernard Williams, William James, entre outros).
  • Desenvolver competências básicas de leitura, interpretação e discussão de textos filosóficos.

 

Programa

____

As emoções, num sentido lato, desempenham um papel fundamental na vida humana e foram objeto de detalhada atenção ao longo de toda a história da filosofia. Em grande medida, as emoções, bem como os sentimentos, afetos e disposições, determinam a nossa perceção do exterior, as nossas escolhas, a nossa relação com o mundo e com os outros, a identificação da nossa própria posição perante a vida. Mas o que é, exatamente, uma emoção? E de que forma se relaciona a emoção (bem como os sentimentos, os afetos e as disposições) com a racionalidade? Será uma emoção uma irrupção irracional abrupta ou estará ela dependente da atividade cognitiva do indivíduo? E serão as emoções algo positivo, a ser cultivado, ou algo nocivo, a ser eliminado ou, pelo menos, moderado? Haverá emoções melhores ou mais importantes do que outras? Qual a relação entre os estados emocionais e disposicionais e o conhecimento, de si próprio e da vida? E de que forma os modos de sentir são influenciados pela educação, pela cultura, ou pela época histórica que se habita? É possível modificar ou treinar as emoções? Haverá um estado emocional ideal, que de alguma forma se relacione com a vida boa, feliz ou realizada?

Estas são algumas das questões que suscitaram reflexão filosófica desde a Antiguidade até hoje e que serão discutidas ao longo do curso. A abordagem a estas questões será feita tanto de um modo direto (através do estudo de teorias gerais sobre as emoções ao longo da história da filosofia, desde a Antiguidade até ao presente) e também de uma forma indireta ou aplicada (através do foco em algumas emoções e disposições em concreto, como o tédio, a angústia, o desespero, a raiva, a compaixão, a alegria, etc.). Em particular, o curso discutirá a possibilidade de uma arte de sentir, englobando a multiplicidade de estados afetivos do indivíduo (emoções, sentimentos e disposições). Contrariamente à ideia de que as emoções são algo constitutivamente irracional e, portanto, incontrolável e inevitável, o curso procurará mostrar como a relação entre as emoções e a racionalidade (e as formas mais ativas de constituição de sentido na vida) é muito mais complexa, permitindo, portanto, uma intervenção positiva no sentido da transformação da vida.

O curso terá uma componente teórica de exposição de conteúdos e uma componente prática, que consistirá na leitura, análise e discussão de passagens selecionadas das obras de autores como Platão, Aristóteles, Epicteto, Séneca, Espinosa, Nietzsche, Kierkegaard, Heidegger, Sartre, B. Williams e W. James, entre outros.

Cada aula será dedicada à exposição e discussão do pensamento de um autor sobre as emoções. O curso será lecionado por investigadores do Art of Living Research Group, do Laboratório de Cultura e Valores do Instituto de Filosofia da Nova. Todos os docentes são doutorados em Filosofia e especializados nos autores que vão expor.

 

Bibliografia

____

  • Aristóteles, “Retórica”, trad. Manuel Alexandre Júnior, Paulo Farmhouse Alberto, Abel do Nascimento Pena, 5ª edição, Lisboa: Imprensa Nacional – Casa da Moeda, 2018.
  • Espinosa, Bento de, “Ética”, trad. J. de Carvalho, Lisboa: Relógio d´Água, 1992.
  • Heidegger, M., “The Fundamental Concepts of Metaphysics: World, Finitude, Solitude”, Bloomington: Indiana University Press, 1995.
  • James, William, “What is an emotion?” Mind, Vol. 9, No. 34. (Abril, 1884), pp. 188-205 (“O que é uma emoção?”, trad. Raphael Silva Nascimento, Clínica & Cultura, v.II, n.I, jan-jun 2013, pp. 95-113.
  • Kierkegaard, S. “Diapsalmata”, Ou-Ou. Um Fragmento de Vida. Parte 1. trad. Elisabete de Sousa, Lisboa: Relógio D’Água, 2013, pp. 25-79.
  • Nietzsche, F., “Genealogia da moral”, trad. P. C. De Souza, São Paulo: Companhia das letras, 2009.
  • Platão, “República”, trad. Maria Helena da Rocha Pereira, 15ª edição, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2017.
  • Sartre, J.-P., “Esquisse d’une théorie des émotions”, Paris: Hermann, 2010.
  • Séneca, L. A., “Cartas a Lucílio”, trad. J. A. Segurado e Campos, Lisboa: Fundação Calouste Gulbenkian, 2004.
  • Williams, B., ‘Morality and Emotions’, in: “Problems of the Self. Philosophical Papers 1956-1972”, Cambridge: Cambridge University Press, 1976.

 

PROPINA

____

Ver tabela em Informações úteis.

 

docentes

____

Ana Falcato é doutorada em Filosofia pela Universidade Nova de Lisboa (2011). Entre 2013 e 2015 foi bolseira de investigação da Fundação Alexander von Humboldt, tendo desenvolvido trabalhos de pós-doutoramento na Johannes-Gutenberg Universität e na Universidade de Oxford. É atualmente investigadora doutorada contratada na NOVA|FCSH, onde desenvolve um trabalho sobre a obra ficcional e ensaística de J.M. Coetzee, bem como investigação sistemática sobre os principais pensadores da Escola Fenomenológica e do Existencialismo Francês.

Bartholomew Ryan é atualmente investigador e coordenador do CultureLab no Instituto de Filosofia da Universidade Nova de Lisboa (IFILNOVA). Os seus trabalhos académicos e criativos orbitam ao redor dos motivos da ‘transformação’ e ‘pluralidade do sujeito’, que levam em conta as máscaras, viagens e (múltiplas) identidades que definem a condição humana moderna. Entre as suas várias publicações, incluem-se os livros Rostos do Si (co-editor, 2019), Nietzsche e Pessoa: Ensaios (co-editor, 2016), Nietzsche and the Problem of Subjectivity (co-editor, 2015), e Kierkegaard’s Indirect Politics: Interludes with Lukács, Schmitt, Benjamin and Adorno (autor, 2014). É formado pela Universidade de Aarhus, Dinamarca (PhD); University College, Dublin (MA) em Filosofia Europeia; e Trinity College, Dublin (BA) em Filosofia e Ciência Política. Foi professor no Bard College Berlin (2007-2011) e também ensinou em universidades no Brasil, Oxford, Aarhus, Dublin e Lisboa. É ainda líder e compositor no projeto músico internacional The Loafing Heroes. 

Dina Mendonça é investigadora contratada do Instituto de Filosofia da Nova onde desenvolve trabalho sobre Filosofia das Emoções e Filosofia para Crianças. Mestrado em Filosofia para Crianças em 1996 na Universidade de Montclair, (New Jersey, EUA) onde estudou com os fundadores do programa Filosofia para Crianças Matthew Lipman e Ann Sharp. Doutorada em Filosofia com dissertação “A Anatomia da Experiência – uma Análise do Conceito de Experiência de John Dewey” pela Universidade de South Carolina (Columbia EUA) em 2003. É autora de vários artigos e capítulos de livros sobre Filosofia das Emoções e Filosofia para Crianças dos quais se podem destacar “Emotions about Emotions” (2013), “Situating Moods (2017), What a Difference Depth Makes (2019).

Fábio Serranito completou o seu doutoramento em 2015, com uma tese sobre os conceitos de loucura e lucidez no Fedro de Platão. Especialista em filosofia antiga, o seu trabalho de investigação desenvolve-se sobretudo nas áreas da ética e antropologia filosófica, focando sobretudo os temas do cuidado, do amor, dos modos de vida e da interação entre filosofia e outros géneros literários como a tragédia e a poesia lírica, e disciplinas intelectuais antigas como a retórica e a sofística. É membro do IFILNOVA e do IEF (Universidade de Coimbra).

Gianfranco Ferraro estudou na Itália e na França, e é membro integrado do Instituto de Filosofia (IFILNOVA) da Universidade Nova de Lisboa. O seu campo de investigação está direcionado, através da genealogia das “condutas de vida” e da utilização das noções de “vida outra” e de “conversão” em Foucault e em Hadot, para a genealogia do niilismo ocidental e a tradição utópica moderna.

Hélder Telo é atualmente membro integrado do Instituto de Filosofia da Nova. Doutorou-se em Filosofia na Universidade Nova de Lisboa (2018), com uma tese sobre a crítica de Platão à vida não-examinada. Realizou parte da sua investigação doutoral na Albert-Ludwigs-Universität Freiburg (onde integrou o grupo interdisciplinar SFB 1015 Muße/Otium) e no Boston College. Publicou textos sobre Platão, Aristóteles, Scheler e Heidegger. O seu trabalho dedica-se sobretudo a questões como o desejo de verdade, a filosofia como modo de vida, o cuidado e as emoções.

Luís Aguiar de Sousa é investigador contratado do Instituto de Filosofia da Nova. A sua dissertação de doutoramento tem por tema o conceito de “sujeito” e “si próprio” no sistema filosófico de Schopenhauer. Tem vários artigos publicados sobre Schopenhauer, Nietzsche e fenomenologia existencial. É editor principal da coleção de artigos Phenomenological Approaches to Intersubjectivity and Values (Cambridge Scholars Publishers, 2019). Atualmente a sua investigação centra-se na noção existencial de si próprio em Schopenhauer, Nietzsche e Sartre.

Marta Faustino estudou Ciências da Comunicação e Filosofia na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (NOVA|FCSH). Doutorou-se em Filosofia, variante de Antropologia Filosófica, com a dissertação “Nietzsche e a Grande Saúde. Para uma Terapia da Terapia”, na mesma faculdade. É atualmente investigadora do IFILNOVA, onde coordena o Art of Living Research Group e desenvolve um projeto individual sobre a filosofia como modo de vida, com especial foco em Nietzsche, Hadot e Foucault. É autora de vários artigos e ensaios sobre Nietzsche, Foucault e os filósofos helenistas e co-editora de “Nietzsche e Pessoa: Ensaios” (Tinta-da-china, 2016) e “Rostos do Si: Autobiografia, Confissão, Terapia” (Vendaval, 2019). Leciona há vários anos sobre a temática do presente curso.

  • Centro Luís Krus – Formação ao Longo da Vida
  • Cursos de ANO NOVO (CAN)

As nossas redes

Para quem quer estar mais próximo do que está a acontecer