Acções do Documento

Botânica e Arte

Início: 11 de janeiro

Creditação para professores dos Ensinos Básico e Secundário

Formação geral e adequada: Professores dos grupos 200, 230, 400, 420, 520, 510 e 600.


Objetivos

1. Identificar plantas representadas na arte;

2. Conhecer a simbologia das plantas na arte;

3. Conhecer matérias-primas vegetais utilizadas em atividades artísticas.

 

Programa

1. Simbologia das Plantas na Arte | Antigo Egito | Civilização Greco-Romana | Extremo Oriente | Arte Ocidental (Da Arte Medieval à Arte Contemporânea)

2. Matérias-Primas e Arte, Óleos, Gomas e Secreções Vegetais (gamboge, linho, papoila, kauri, adraganta, sangue-de-dragão, etc.)

Madeiras (carvalho, choupo, pinho, tília, etc.)

3. Visitas de Estudo

 

Bibliografia

Ancona, M. (1977). The garden of the Renaissance: Botanical symbolism in Italian painting. L. S. Olschki, Florence.

Mendonça de Carvalho, L. M. (2011). The Symbolic Uses of Plants. In Anderson, E.; Pearsall, D.; Hunn, E.; Turner, N. (edit.). Ethnobiology. Wiley-Blackwell, New York. (pp. 353-371).

Langenheim, J. (2003). Plant Resins: Chemistry, Evolution, Ecology and Ethnobotany. Timber Press, Portland, Oregon.

Hepper, N. (2009). Pharaoh’s Flowers – The Botanical Treasures of Tutankhamun. (2nd Edition). KWS Publishers, Chicago and London.

Baumann, H. (1993). The Greek Plant World in Myth, Art and Literature. Timber Press, Portland, Oregon.

___________________________________

Luís Mendonça de Carvalho, professor coordenador e Diretor Museu Botânico de Beja, Biólogo, PhD em Etnobobotânica (Coimbra), investigador (IHC)

Topo da Página
classificado em: ,