Acções do Documento

Comunidade NOVA FCSH convidada para obra de Beckett no São Luiz

Alunos, docentes e funcionários da Faculdade estão convidados para visionar a peça “Happy Days”, de Samuel Beckett, no dia 19 de abril. Os bilhetes têm um custo de apenas 4 euros.

Uma peça no Teatro Municipal São Luiz, onde os alunos serão acompanhados por Teresa Botelho, docente do Departamento de Línguas, Culturas e Literaturas Modernas, seguida de uma conversa com a equipa artística que encena “Happy Days”, de Samuel Beckett. É esta a proposta dos Junior Researchers in Anglo-American Studies (JRAAS), grupo de investigação integrado no CETAPS, para o dia 19 de abril, às 21h. É solicitado a todos os interessados que enviem um e-mail para o endereço jraaslisboa@gmail.com solicitando a reserva dos bilhetes, que serão limitados à capacidade da sala e terão um custo de 4 euros.

“Happy Days” apresenta uma mulher de meia idade, Winnie, inexplicavelmente presa até à cintura e, posteriormente, até ao pescoço. Apesar de parecer estar sozinha, o parceiro de Winnie, Willie, permanece igualmente preso atrás dela. Beckett completou Happy Days em 1961. A peça encontra-se recheada de trocadilhos e de referências. A primeira produção realizou-se em Nova Iorque, no Teatro Cherry Lane, em 1961. No ano seguinte estreou em Londres, no Teatro Royal Court, contando com Brenda Bruce no papel de Winnie. Em 1979, Beckett realizou a sua própria produção no Teatro Royal Court, com a colaboração de Billie Whitelaw, a qual representou o papel de Winnie. Apesar de claramente cómica, a peça aborda também temas relacionados com o desespero. Afinal, inspirou-se parcialmente no filme surrealista Un Chien Andalou (1929), realizado por Luis Buñuel. William McEvoy, em “Introduction to Happy Days” (2017), debruçou-se sobre a peça de Beckett e discutiu a forma como o dramaturgo se serve de Willie e da situação em que aquela se encontra para explorar as fraquezas do corpo humano e da linguagem.

Teresa Botelho é doutorada pela Universidade de Cambridge e professora Associada na NOVA FCSH, onde leciona unidades curriculares relacionadas com Estudos Norte-Americanos. Publicou também diversas obras a respeito da cultura, literatura e teatro afro e ásio-americanos. De entre os seus interesses destacam-se utopias e distopias tecnológicas, o pós-humano, literatura contemporânea afro-americana, teoria da identidade e a sua intersecção com a utopia, cultura visual e cinema, a relação estabelecida entre literatura e ciência e, por fim, as representações literárias e visuais do 11 de Setembro.

Veja o trailer da peça



2018-04-06 12:55
Topo da Página