Acções do Documento

Alunos de arqueologia reconstituem história da Viarco

Alunos da NOVA FCSH vão participar nos trabalhos de levantamento, inventário e registo da icónica fábrica de lápis portuguesa.

Já se encontra a decorrer o Projeto de Valorização de Indústria Viva da VIARCO - Fábrica de Lápis, que incluirá a realização de trabalhos arqueológicos de levantamento e a proposta de classificação da fábrica enquanto imóvel de interesse municipal. Os trabalhos serão realizados com o apoio da CM de São João da Madeira, a VIARCO, a APAI - Associação Portuguesa de Arqueologia Industrial, e a NOVA FCSH.

A coordenação dos trabalhos é assegurada pela arqueóloga Leonor Medeiros, docente do Departamento de História, e contam com a participação dos alunos de licenciatura e mestrado em arqueologia, museologia e história.

Sobre a VIARCO
"A origem do fabrico de lápis em Portugal remonta ao ano de 1907 quando o Conselheiro Figueiredo Faria juntamente com o seu sócio o Engenheiro Francês Jules Cacheux decidem construir em Vila do Conde uma unidade industrial de fabrico de lápis designada por “Faria, Cacheux & Cª” também conhecida como Portugália.
Apesar da Portugália ter sido pioneira e bem-sucedida no desenvolvimento e produção de artigos de escrita no país, pensa-se que a sua atividade terá sido gravemente afetada com a entrada de Portugal na Primeira Guerra Mundial e, posteriormente, pela Grande Depressão de 1929/31.
A viragem dá-se em 1931, quando Manoel Vieira Araújo, industrial experiente da chapelaria e figura proeminente de S. João da Madeira, decide diversificar o ramo de atividade da Vieira Araújo & Cª, Lda, e adquire a Fábrica Portuguesa de Lápis.
No ano de 1936 é registada a marca que acompanharia gerações de portugueses até aos dias de hoje – Viarco."

Saiba mais sobre a história desta fábrica em https://www.viarco.pt/historia/

2019-04-08 16:20
Topo da Página