Acções do Documento

Aluno da NOVA FCSH entre os compositores do Festival da Canção 2018

Henrique Janeiro, licenciado em Ciências Musicais pela NOVA FCSH, foi o compositor selecionado por Salvador Sobral para o Festival RTP da Canção 2018.

Licenciado em Ciências Musicais e atual aluno de Mestrado em Ciências da Comunicação, Henrique Janeiro conquistou na última quarta-feira, dia 27, um lugar entre os 26 compositores do Festival da Canção de 2018. O convite para o autor, natural de Coimbra e com 23 anos, chegou pela mão de Salvador Sobral, com direito a nomear um dos músicos concorrentes da cerimónia que será realizada em Lisboa.

Janeiro, como é conhecido no meio artístico, vai ombrear com nomes consagrados da canção nacional, como Fernando Tordo, José Cid, Diogo Piçarra, JP Simões, Capicua e Júlio Resende, mas também contará com alguns concorrentes internacionais, como o cabo-verdiano Tito Paris e a brasileira Mallu Magalhães.

Em 2015, no EP homónimo com que se estreou, gravou mesmo uma canção, “Tereza e Tomás”, em conjunto com o vencedor do Festival Eurovisão da Canção 2017.

A música de Henrique Janeiro circula pelo ambiente da folk e do jazz, mas também passa pelo fado e pela bossa-nova. Em entrevista à NOVA Magazine, revista da Universidade NOVA de Lisboa, fica evidente que a música faz parte da genealogia.

O pai do artista refere que o piano foi o seu primeiro instrumento. “O piano é de família. Da bisavó, avó e pai, todos tocavam”, mas a verdadeira paixão surgiria mais tarde: a guitarra. “Fomos a Londres e ele veio de lá com uma Fender Stratocaster igual à do John Mayer”, recorda Francisco Janeiro à publicação.

Depois, quando a música começou a soar bem, os pais acreditaram no futuro. O músico chegou a ponderar tirar Gestão, Direito ou Medicina. Uma escolha mais tradicional. Mas os pais desejaram que seguisse o que o faria feliz. Janeiro agradece, “porque nem toda a gente tem essa sorte de ter uns pais que consigam pensar um bocadinho à frente: ok, mesmo que ele não seja incrível agora, ele pode ficar, pode evoluir”.

Agora, vem aí um novo álbum para sair em 2018. E um futuro que pode ser eurovisivo…

Leia a notícia na Sábado

2017-09-29 10:30
Topo da Página