Acções do Documento

A censura já se escreveu a azul em Portugal

O "Lápis Azul" era a "imagem de marca" da censura durante o Estado Novo.

Os censores tinham instruções para riscar a lápis azul temas mais sensíveis e que pusessem em causa a ditadura. Esta censura abrangia não só na imprensa, mas também setores culturais, como o teatro, cinema, pintura e até a música.

Durante esse período existiram livros proibidos, muitos deles de autores internacionais conhecidos, como Jorge Amado, Baudelaire, Engels, Lefebvre, Marx e Nietzsche.

A Biblioteca tem à disposição as edições de vários livros que foram proibidos nessa altura, dos quais destacamos alguns de autores portugueses:

●       Caraça, Bento de Jesus, 1901-1948 - A cultura integral do indivíduo: problema central do nosso tempo. Lisboa: Mocidade Livre, 1933

●       Correia, Natália, 1923-1993; Seixas, Cruzeiro - Antologia de poesia portuguesa erótica e satírica. [s. l.] : Afrodite, [1965]

●       Ferreira, Alberto, 1920-2000 - Quatro semanas em Outubro: reflexões políticas. Lisboa: Seara Nova, 1970

●       Fonseca, Tomás da, 1877-1968 - O diabo no espaço e no tempo. Lisboa: [s. n.], 1958

●       Godinho, José Magalhães, 1909-1994 - Falar claro. Lisboa: Ed. do Autor, 1969

●       Leal, Cunha, 1888-1970 - A obra intangível do Dr. Oliveira Salazar. Lisboa: Edição do autor, 1930

●       Pereira, José Pacheco, 1949 - Questões sobre o movimento operário português e a revolução russa de 1917. Porto: Edição do autor, 1971

●        Proença, Raúl, 1884-1941 - A ditadura militar: história e análise dum crime. Lisboa: Seara Nova, 1926

●       Ribeiro, Aquilino, 1885-1963 - Quando os lobos uivam. Amadora: Bertrand, cop. 1958;

●       Soares, Mário, 1924-2017 - Escritos políticos. Lisboa: Edição do Autor, 1969

●       Zenha, Francisco Salgado, 1923-1993 - A quinta causa: os católicos e os direitos do homem. Lisboa: Livraria Morais Editora, 1969.

Se pretende saber mais sobre estes e outros exemplares, contacta a biblioteca através do email bibliotecamsc@fcsh.unl.pt ou suba até ao 1.º piso da Torre B.

2019-04-16 12:05
Topo da Página