eventos 25 de Abril
Julho
« Julho 2017 »
Do
1
2345678
9101112131415
16171819202122
23242526272829
3031
 
Acções do Documento

Ciclo de Conferências Revolução e Democracia - "Arte e Cultura"

 
Data: 24 Junho | Local: FCSH - Torre B - Auditório 1
Quando 2014-06-24
de 18:00 até 19:30
Adicionar evento ao calendário vCal
iCal

Organização: FCSH/NOVA

 

Nota de apresentação

 

Conferencistas:

António-Pedro Vasconcelos
(Cineasta)

Frequentou Direito na Universidade de Lisboa e Filmografia na Universidade de Paris IV. É um dos cineastas representativos do Cinema Novo Português com o filme Perdido por Cem, de 1973, e realizou alguns dos filmes portugueses com maior sucesso comercial nas salas nacionais, como O Lugar do Morto (1984) ou Jaime (1999), premiado com a Concha de Prata do Festival Internacional de Cinema de San Sebastian e com os Globos de Ouro da SIC para Melhor Filme e Melhor Realizador.

Os Imortais (2003), Call Girl (2007) e A Bela e o Papparazzo (2010) estão entre os seus filmes mais recentes. Enquanto produtor, participou na criação da V.O. Filmes, da Opus Filmes e ainda do Centro Português de Cinema, que produziu a maior parte dos filmes do Cinema Novo).  

Tem presença regular como comentador nos media e tem desenvolvido intensa actividade cívica, sobretudo no âmbito da cultura. É Cavaleiro pela Ordem do Infante D. Henrique. 

Fontes: http://cinema.sapo.pt/pessoa/antonio-pedro-vasconcelos
http://www.imdb.com/name/nm0890367/

 

Manuel Alegre
(Escritor e político)

Estudou Direito na Universidade de Coimbra, onde foi um activo dirigente estudantil. Opôs-se à ditadura e à guerra colonial, tendo sido chamado para o serviço militar em 1961 e mobilizado para Angola em 1962.

Após ter dirigido uma tentativa de revolta militar, foi preso pela PIDE em Luanda (1963) e colocado com residência fixa em Coimbra, acabando por passar à clandestinidade e sair para o exílio em Argel (1964), onde dirigiu a Frente Patriótica de Libertação Nacional. Os seus dois primeiros livros, Praça da Canção (1965) e O Canto e as Armas (1967), apesar de apreendidos pela censura, tiveram ampla circulação, e os seus poemas foram cantados por Zeca Afonso, Adriano Correia de Oliveira, Manuel Freire e Luís Cília. 

Regressou finalmente a Portugal em 2 de Maio de 1974, dias após o 25 de Abril, tendo ingressado no Partido Socialista, de que foi dirigente nacional. Foi sucessivamente eleito deputado a partir de 1975, tendo integrado o I Governo Constitucional. Após um longo período como Vice-Presidente da Assembleia da República (desde 1995), abandonou as funções parlamentares por vontade própria em 2009. Foi membro do Conselho de Estado (de 1996 e 2002 e de novo em 2005). Foi candidato à Presidência da República em 2006 e em 2011.

A vasta obra publicada tem edições em italiano, espanhol, alemão, catalão, francês, romeno e russo. É sócio correspondente da Classe de Letras da Academia das Ciências, eleito em Março de 2005. Recebeu várias condecorações em Portugal e no estrangeiro.

Fonte: http://www.manuelalegre.com/101000/1/,000021/index.htm

 

Topo da Página