logotipo medievalista

 
   
 
Número 13 | Janeiro - Junho 2013 ISSN 1646-740X en
 

IEM


TODOS OS NÚMEROS /
PREVIOUS ISSUES


EDIÇÃO / EDITORS

CONSELHO EDITORIAL / ADVISORY BOARD

ARBITRAGEM CIENTÍFICA 2012 / PEER REVIEWING 2012

WEB DESIGNER


CONTACTOS / CONTACTS

INSTRUÇÕES AUTORES /
AUTHOR’S INSTRUCTIONS


REVISTAS INTERNACIONAIS / RELATED PUBLICATIONS

CALL FOR PAPERS


A Revista Medievalista encontra-se incluída: LATINDEX (Directório e Enlace);
DIALNET

ISSN 1646-740X

logo FCSH

A Revista Medievalista é um Projecto desenvolvido com o apoio da

fct


 

 

 

 

Resumos / Abstracts

    imprimir mail indice
 
Philippe Walter
De l'image à l'imaginaire médiéval [VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEX]
 
Facing the mediatic image's crushing power in contemporary societies, can we conceive the locus of image in Middle Ages? How are we able to enframe it's value out of a radical overvaluation of the visual that daily submits us? How to understand it's functions complexity without immediate anacronism? While reconstituting a brief Image's history, from the dawn of platonism, in Ancient Greece, up to the consolidation of Christianity, this text shall address the formation of a medieval imaginary, grounding on the affirmation of sensible reason a thought that not only uses concepts but also mobilizes affects. It will question how the process of image's symbolization occurs and how, through it, concepts like invisible and visible, perception and interpretation, memory and the promise of what's to come, pass and future, are connected and articulate.
Keywords: Image, iconoclasm, Middle Ages, medieval imaginary, visual.
Diante do poder esmagador das imagens mediáticas nas sociedades contemporâneas seremos capazes de conceber o lugar da imagem na Idade Média? Como perspectivar o seu valor fora da lógica de sobrevalorização radical do domínio do visual a que estamos diariamente sujeitos? Como compreender a complexidade da sua função sem incorrer de imediato em anacronia? Reconstituindo uma breve história da Imagem, desde os alvores do platonismo, na Grécia Antiga, à consolidação do cristianismo, dar-se-á conta da progressiva emergência do imaginário medieval, afirmação da razão sensível na base de um pensamento que não apenas dispõe de conceitos mas mobiliza afectos. Indagar-se-á como ocorre o processo de simbolização da imagem e como, por meio dele, se cruzam e articulam o visível e o invisível, a percepção e a interpretação, a memória e a promessa do porvir, o passado e o futuro.
Palavras-chave: Imagem, iconoclasmo, Idade Média, imaginário medieval, visual.
florao cinz   topo home
  Franklin Pereira
O comércio de "couro dourado"/guadameci entre Córdova e Lisboa: um contrato de venda de 1525 [VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEX]
 
"The trade of gilt leather/guadameci between Córdoba and Lisbon: a contract from 1525" deals with a document of imports between a gilt leather maker from Lisbon, working for the court, and a painter from Córdoba; the list includes altar fronts, wall hangings and cushions. Besides commenting such contract, the author refers the uses of gilt leather in both Iberian countries coming out of the Reconquest as part of the mudejar fashions of the 15th-16th centuries.
Keywords: Al-Andalus, Leather, Guadameci, Cordoba, Trade.

"O comércio de "couro dourado"/guadameci entre Córdova e Lisboa: um contrato de venda de 1525" incide sobre um documento de importações entre um guadamecileiro de Lisboa, trabalhando para a corte, e um pintor de Córdova; a lista inclui frontais de altar, cobertas de parede e coxins. Além de comentar o contrato, o autor refere os usos do guadameci nos dois países ibéricos pós-Reconquista como parte das modas mudéjares do século XV-XVI.
Palavras-chave: Al-Andalus, Couros, Guadameci, Córdova, Comércio.
florao cinz   topo home
 
Laura Badescu
Política e politheia nos provérbios romenos do século XVIII
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEX]
The paper proposes an analysis of the concept "politheia" in relation with Romanian paremiologic corpus used in the eighteenth century. In this framework, it was described three contexts (genetic, generic and functional) that caused mutations in the semantic of paremiologic structures. The intention is to explain these changes by highlighting the connections between sentential statementsand the political, social and cultural zeitgeist.
Keywords: Politheia; Paremiology; Romanian culture, Eighteenth century, Politheia.

Propõe-se uma análise do conceito de "politheia" relacionando-o com um corpus paremiológico romeno utilizado no século XVIII. Para tal, serão descritos três contextos (genético, genérico e funcional) que causaram mutações semânticas nas estruturas paremiológicas. Pretende-se explicar estas mutações destacando as conexões entre enunciados sentenciais e o quado político, social e cultural.
Palavras-chave: Politheia; Paremiológia; cultura romena, século XVIII, politheia.
 
florao cinz   topo home
  Giulia Rossi Vairo
O genovês Micer Manuel Pessanha, Almirante d'El-Rei D. Dinis
[VER TEXTO INTEGRAL/FULL TEX]
The article is centered on Micer Manuel Pessanha, descendent of a Genovese family of expert navigators that worked for several European courts and founder of a lineage of Royal Admirals that assumed the position hereditarily until the 1383-1385 crisis. With strong education and experience, Manuel Pessanha became a rich and powerful official and, above all, King D. Dinis’ henchman. He was not only profoundly involved in the navy’s renovation, but also fulfilled delicate diplomatic missions as Portuguese king’s ambassador for the Apostolic See, at a time when the kingdom was dealing with large administrative transformations that lead to a deeper centralization of power promoted by the sovereign king.
Keywords:
Manuel Pessanha, King D. Dinis, Naval history, Royal Admirals, Order of Christ.
O artigo centra-se na figura de Micer Manuel Pessanha, descendente de uma família genovesa de peritos navegadores ao serviço de diversas cortes europeias e ele próprio fundador em Portugal de uma família que, até à crise de 1383-1385, assumiu por via hereditária o cargo de Almirante régio. Funcionário rico e poderoso e sobretudo homem de confiança do rei D. Dinis, Manuel Pessanha, forte pela sua formação e pela sua experiência anterior, exerceu um papel importante na renovação da Marinha portuguesa, mas cumpriu também delicadas missões diplomáticas na qualidade de embaixador do rei de Portugal junto da Sé Apostólica, numa altura em que o reino assistiu a grandes transformações no âmbito da Administração, no sentido de uma sempre mais marcada centralização do poder promovida pelo soberano.
Palavras-chave: Manuel Pessanha, D. Dinis, História da Marinha, Almirantado, Ordem de Cristo.
 
florao cinz   topo home