Acções do Documento

Pop/Rock: Ouvir, Tocar, Compor

Início: 9 de julho

Objetivos

  • Analisar temas pop/rock, integrando-os no contexto histórico e musical;
  • Conhecer os termos técnicos associados à música pop/rock e aplicá-los corretamente;
  • Conhecer os instrumentos musicais fundamentais da música pop/rock e integrá-los no contexto de uma evolução organológica;
  • Identificar os géneros e os contextos dos mais significativos compositores/bandas da história da música pop/rock;
  • Ser capaz de perceber o papel específico da tecnologia ao nível de gravação, produção e edição na composição da música pop/rock;
  • Conhecer os principais formatos, géneros e métodos de composição na música pop/rock.

 

Programa

  1. Antecedentes: Jazz; Blues e música popular (EUA e Europa);
  2. Surgimento do rock’n’roll e respetivas inovações organológicas;
  3. Surgimento da música pop: Reino Unido;
  4. Prática de análise musical e identificação das particularidades do género: harmonia, ritmo, melodia, estruturas, arranjos e orquestração.
  5. Ferramentas de análise: partitura, tablatura, cifra, registo de estúdio e registo ao vivo;
  6. Em torno do formato canção: letra e música, estrutura verso/refrão e múltiplas variações;
  7. Papel da organologia na composição da música pop/rock: amplificação, guitarra elétrica, sintetizador, computador;
  8. Gravação e edição: importância do estúdio no processo de composição da música pop/rock – estúdio versus ao vivo e gravação direta versus gravação multipistas com overdub;
  9. Especificidades da composição musical pop/rock e intersecção com outras práticas musicais como a música étnica ou a erudita.

 

Bibliografia

COVACH, John & FLORY, Andrew (2012) – What’s That Sound: An Introduction to Rock and Its History, New York: W. W. Norton.

GOTTLIEB, Gary (2007) – Shaping Sound in the Studio and Beyond: Audio Aesthetics and Technology, Boston: Delmar.

MOORE, Allan (2012) – Song Means: Analyzing and Interpreting Popular Music, Farnham: Ashgate.

PLASKETES, George (2009) – B-Sides, Undercurrents and Overtones: Peripheries to Popular in Music, 1960 to the Present, Farnham: Ashgate.

ZAK, Albin (2001) – The Poetics Of Rock: Cutting Tracks, Making Records, Berkeley: University of California Press.

___________________________________

Rui Pereira Jorge é investigador pós-doutoral no CESEM, doutorado em Filosofia da Música e Tecnologia, mestre e licenciado em Filosofia pela FCSH. Possui formação musical (órgão e trompete) e formação na área da edição e criação de som. Tem produzido trabalhos como músico e editor de som, incluindo música para cinema, música para crianças, música eletrónica e experimentação sonora. Realizou telediscos, um documentário e participou em vários projetos multimédia. Paralelamente, tem desenvolvido investigação sobre musicologia, estética e filosofia da música, com publicação de artigos e participação em conferências nacionais e internacionais. Nas suas investigações articula a investigação teórica em música com uma abordagem orientada para aspetos práticos da composição e interpretação. É docente no Dpto. de Ciências Musicais da FCSH, nas áreas da análise musical, informática musical e edição de som.

Topo da Página