Acções do Documento

Revisitando a História das Mulheres: metodologias, historiografia e casos de estudo

Início: 10 de julho

 

Datas: 10 a 24 de julho | segundas, quartas e sextas-feiras

das 18h00 às 20h00 | dia 14 das 18h00 às 21h00 | Sala T9 - Torre B

Docente Responsável: Carla Alferes Pinto

Docentes: Isabel Almeida, Maria Barreto Dávila, Maria de Fátima Rosa e Teresa Lacerda

Áreas: História, Património e Cultura

 


Creditação para professores do Ensino Básico e Secundário

Formação geral e adequada: Professores do Grupos 410 e 600.

 

Objetivos

O curso tem por objetivo potenciar o interesse pela história das mulheres, contribuindo para suscitar areflexão e a problematização das questões relacionadas com a presença e ação das mulheres ao longo da história e de como a cronística oficial e historiografia tradicional têm abordado o tema.

Através da apresentação de um conjunto de sessões organizadas temática e concetualmente, procurar-se-á despertar a atenção dos alunos para a possibilidade de repensar conceitos e interpretações correntes, bem como motivar a discussão em torno das novas perspectivas historiográficas e da atualidade da investigação no campo das Humanidades.

As sessões serão coordenadas colaborativamente, de forma a incentivar o cruzamento de cronologias e de casos de estudo, organizados em torno da proposta temática enunciada. Os alunos serão incentivados a participar nas sessões através da disponibilização prévia quer de PDFs de textos relacionados com a temática abordada quer de fontes de carácter documental e visual que se liguem directamente aos assuntos abordados.

 

Programa

1.ª sessão – Introdução historiográfica e metodológica

2.ª sessão – O divino (com a participação da prof. Doutora Helena Trindade Lope)

3.ª sessão – A escrita (3 horas)

4.ª sessão – O mecenato

5.ª sessão – A corte

6.ª sessão – Agência I: propriedade, negócios e trabalho

7.ª sessão – Agência II: sangue, linhagem e família

 

Bibliografia

ARMADA, Fina d’, Mulheres Navegantes no tempo de Vasco da Gama, Lisboa, Ésquilo, 2006;

BAHRANI, Zainab, Women of Babylon- gender and representation in Mesopotamia, Londres & Nova York, Routledge, 2001;

BOCK, Gisela, “História, História das Mulheres, História do Género”, Penélope. Fazer e desfazer História, n.º 4, Novembro, 1989, pp. 158-187;

BOUSMAR, É., J. Dumont, A. Merchandisse e B. Schnerb (ed.), Femmes de pouvoir, femmes politiques durant les dernières siècles du Moyen Âge et au cours de la première Renaissance, Bruxelles, De Boeck Université, 2012;

BOXER, Charles, A mulher na expansão ultramarina ibérica 1415-1815. Alguns factos, ideias e personalidades, Lisboa, Livros Horizonte, [1977];

COATES, Timothy J., Degredados e órfãs: colonização dirigida pela coroa no império português: 1550-1755, Lisboa, CNCDP, 1998;

CALDEIRA, Arlindo Manuel, Mulheres, sexualidade e casamento em São Tomé e Príncipe (séculos XV-XVIII), Lisboa, Ed. Cosmos/ Grupo de Trabalho do Ministério da Educação para as Comemorações dos Descobrimentos Portugueses, 1999;

CRUZ, Anne J. e Mihoko Suzuki (eds.), The Rule of Women in Early Modern Europe, University of Illinois Press, 2009;

EARENFIGHT, Theresa, “Highly Visible, Often Obscured: The Difficulty of Seeing Queens and Noble Women”, Medieval Feminist Forum, 44:1, 2008, pp. 86-90;

GOODISON, Lucy, MORRIS, Christine (eds.), Ancient Goddesses: the myths and the evidence, London, British Museum Press, 1998;

HURTADO, L.W. (ed.), Goddesses in Religions and Modern Debate, Atlanta, Scholars Press, 1990;

LIGHT, Laura, Women and the Book in the Middle Ages and the Renaissance (cat. Exp.), New York/Chicago/Paris, Les Enluminures, 2015;

MARTIN, Therese (ed.), Reassessing the Roles of Women as 'Makers' of Medieval Art and Architecture, Brill, 2012;

O rosto feminino da expansão portuguesa. Congresso Internacional. Lisboa, 21-24 de Novembro de 1994. Actas, Lisboa, Comissão para a Igualdade e para os Direitos das Mulheres, 1995, 2 vols;

ORR, Clarissa Campbell, Queenship in Europe 1660-1815: The Role of the Consort, Cambridge University Press, 2004;

OWENS, Sarah de e Jane E. Mangan, Women of the Iberian Atlantic, Baton Rouge, Louisiana State University Press, 2012;

SCHROER, S. (ed.), Images and Gender: Contributions to the Hermeneutics of Reading Ancient Art, Fribourg and Göttingen, Vendenoheck&Ruprecht, 2006;

SLUGA, Glenda e James, Carolyn (ed.), Women, Diplomacy and International Politics Since 1500, Routledge, 2016;

WOODACRE, Elena de (ed.), Queenship in the Mediterranean. Negotiating the Role of Queen in the Medieval and Early Modern Eras, Palgrave MacMillan, 2013;

BOCK, Gisela, “História, História das Mulheres, História do Género”, Penélope. Fazer e desfazer História, n.º 4, Novembro, 1989, pp. 158-187.

___________________________________

Carla Alferes Pinto é historiadora de arte e bolseira pós-doutoramento da FCT com o projeto “O gosto das coisas. O consumo de objetos artísticos pelas infantas e rainhas Avis-Beja (1430-1577)”. É investigadora integrada do CHAM- NOVA FCSH/UAc e coordenadora científica do Seminário Permanente sobre “As Mulheres na História Global” no mesmo Instituto.

Ao longo dos anos tem-se dedicado à investigação e estudo das relações entre o fenómeno artístico e a história das mulheres, especificamente aquando da realização da dissertação de mestrado sobre “O Mecenato da Infanta Dona Maria de Portugal (1521-1577)” (sob orientação do Prof. Doutor Rafael Moreira; 1996) e no trabalho que tem desenvolvido e publicado sobre o convento de Santa Mónica em Goa e sobre a freira Filipa da Trindade (?-1626).

Publicou “Género, mecenato e arte: a criação das casas de mulheres em Goa”, edição de Cristiana Bastos, Portuguese Literary and Cultural Studies: Parts of Asia. University of Massachusetts Dartmouth, n.º 17/18, 2010, pp. 51-75 (DOI: http://hdl.handle.net/10362/16152) e A Infanta D. Maria de Portugal (1521-1577): o mecenato de uma princesa renascentista. Lisboa. Fundação Oriente, 1998.

 

Isabel Almeida, doutorada em História - especialidade em História Antiga pela NOVA FCSH, é professora auxiliar convidada da mesma instituição, lecionando unidades curriculares do primeiro e segundo ciclos. Na sua tese de doutoramento, A construção de Inanna/Ištar na Mesopotâmia: IV – II milénios a.C., trabalhou questões relacionadas com a representação do feminino na Antiguidade, particularmente no que diz respeito ao mundo divino. Os seus interesses de investigação atuais prendem-se com a História Cultural e das Religiões no Próximo e Médio Oriente Antigo, História da Mulher e das representações do Feminino na Antiguidade, assim como na receção da Antiguidade em termos diacrónicos. Integra, desde Março de 2016, a direção executiva do CHAM- NOVA FCSH/UAc.

 

Maria Barreto Dávila é doutoranda em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, com a tese "Governar o Atlântico: a infanta D. Beatriz e a Casa de Viseu (1470-1485)", realizada sob orientação do Professor Doutor João Paulo Oliveira e Costa.

A sua tese de doutoramento sobre “Género, Espaço e Poder: representações da autoridade feminina na corte portuguesa (1438-1521)” aguarda defesa pública. É investigadora do CHAM (FCSH|NOVA/FCSH&UAç.) onde irá desenvolver um projeto de pós-doutoramento intitulado “Género, Espaço e Poder: representações da autoridade feminina na corte portuguesa (1438-1521)”.

A sua investigação tem refletido sobretudo sobre o princípio da expansão atlântica portuguesa e sobre a relação das mulheres com o poder em finais da Idade Média.

 

Maria de Fátima Rosa é investigadora integrada do CHAM-FCSH|NOVA – UAc. É doutorada em História Antiga, pela Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade NOVA de Lisboa, com uma tese sobre as conceções do tempo e da ordem no reino de Mari, na Mesopotâmia. Atualmente, é pós-doutoranda do CHAM – FCSH|NOVA – UAc, num projeto sobre a receção da Antiguidade, que contempla, para além de outras temáticas, as representações e significâncias de algumas figuras femininas ao longo da história (como Semíramis).

 

Teresa Lacerda é desde Setembro de 2013 conferencista na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas na Universidade Nova de Lisboa:

* seminários no mestrado em e-learnig História do Império Português: Dimensões Religiosas da Expansão Portuguesa (em parceria com o Prof. Doutor João Paulo Oliveira e Costa) e Interações Sócio-Culturais na Expansão Portuguesa (em parceria com o Doutor Paulo Teodoro de Matos

* (desde Setembro de 2011), no programa de intercâmbio com a Dalian University of Foreign Languages (China). Cadeiras lecionadas: História de Portugal I; História de Portugal II; História da Globalização; História dos Portugueses no Mundo.

É desde 2001, investigadora do CHAM – FCSH|NOVA – UAc e desde Abril de 2012 membro do Núcleo de Estudos Ibéricos e Ibero-Americanos da Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa.

A sua dissertação de mestrado em História dos Descobrimentos e da Expansão Portuguesa (apresentada à Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa, em 9 de Junho de 2006) é sobre Os Capitães das Armadas da Índia no reinado de D. Manuel I (1497-1521) – uma análise social. Foi bolseira de doutoramento da FCT (2008-2011) com o projeto de tese “Territórios, Mestiços e Mestiçagem. Uma história do Império Português na África Atlântica (séculos XV a XVIII)”.

Publicou A Interculturalidade e a Expansão Portuguesa (Séculos XV-XVIII), Lisboa, ACIME, 2007 (em co-autoria com João Paulo Oliveira e Costa).

Topo da Página