Acções do Documento

Arqueologia Náutica - Contacto, Expansão e Contemporaneidade (séculos XVI - XX)

Início: 4 de setembro

Datas: 4 a 8 de setembro | dias úteis das 10h00 às 12h00 e das13h00 às 16h00

Docentes: Alexandre Monteiro e Tânia Manuel Casimiro

Áreas: História, Património e Cultura

 

 

Creditação para professores do Ensino Básico e Secundário

A aguardar.

 

Objetivos

São objetivos deste curso:

  • Saber identificar as características mais marcantes da construção desde a Antiguidade àContemporaneidade, com especial enfoque na construção naval ibero-atlântico da Idade Moderna;
  • Saber inserir a construção naval ibérica nas duas grandes tradições navais europeias, a mediterrânica e a norte-europeia;
  • Saber identificar, no terreno, os fósseis-diretores mais identificativos da construção naval;
  • Saber identificar as práticas de construção náutica e de tradição naval;
  • Saber conciliar criticamente as fontes documentais com as materialidades presentes no registo arqueológico;
  • Conhecer que elementos da cultura material seguiam a bordo das embarcações;
  • Conhecer as leis nacionais e internacionais de defesa do património subaquático.

 

Programa

1. Apresentação

2. Arqueologia: o que é, de quem é, para que serve, a quem serve.

3. A arqueologia náutica e subaquática (Estudo de caso: a arqueologia marítima na China).

4. A arqueologia em oposição à caça ao tesouro (Estudos de caso: o Black Swan e o Slot ter Hooge)

5. Embarcações: formas, nomenclatura e taxonomia

6. Anatomia do navio à vela e anatomia do navio a vapor (Estudos de caso: o Lidador (Ilha Terceira, Açores) e o Primavera (Berlenga))

7. Os navios ao longo da história:

7.1. No Antigo Egipto

7.2. Na Idade do Bronze (Mediterrâneo)

7.3. Na Antiguidade Clássica (Grécia e Roma)

7.4. Na Idade Média (Europa do Norte e Mediterrâneo)

8. Navios ibéricos dos Descobrimentos

9. A carreira da Índia (Estudo de caso: a nau de Oranjemund (1533?, Namíbia))

10. A carreira de las Indias (Estudo de caso: a nau Nuestra Señora del Rosario (1589, Grândola)

11. O navio de Esposende

12. O Schoonhoven (1626, Melides)

13. A carreira do Brasil (A nau Santa Rosa e os galeões São Francisco e São Pantaleão)

14. A carreira da China (Estudo de caso: o Correio da Ásia (1816, Ningaloo, Austrália)

15. A carreira da escravatura (Estudo de caso: o brigue Esperança (1837, ilhas Turks and Caicos)

16. Fósseis directores (artilharia, cerâmicas, numismas)

17. Noções básicas de conservação (madeiras e outros materiais orgânicos; metais, cerâmicas e vidros)

18. Prospeção de gabinete

18.1. a pesquisa bibliográfica e arquivística

18.2. a tradição oral, os inquéritos e a microtoponímia

18.3. os achados fortuitos

18.4. a análise espacial

18.5. Estudo de casos: o estuário do Sado (I).

19. Prospecção no terreno

19.1. Visual

19.2. Geofísica (magnetometria, o sonar de varrimento lateral e a perfilagem de sedimentos)

19.3. Estudo de caso: o estuário do Sado (II) e baía de Angra do Heroísmo

20. Registo arqueológico

20.1. O registo tridimensional: exactidão, precisão e resolução; erros aleatórios e sistemáticos; grau de confiança; desvio padrão

20.2. Esboço; desenho à escala; fotografia; fotogrametria;

20.3. Pranchetas; lápis e mylar; fitas métricas; fio-de-prumo; câmaras fotográficas

20.4. o Site Recorder

20.5. Estudo de caso: o Arade 23 (Portimão)

21. Escavação

21.1. Estudos de caso: Angra C e D (Ilha Terceira, Açores)

22. Naufrágios em Portugal. Estudos de casos

23. A protecção jurídica do património cultural subaquático

23.1. O decreto-lei 194/97

23.2. A Convenção da UNESCO para a protecção do património cultural subaquático

24. Arqueologia intertidal

25. Arqueologia em águas profundas

25.1. Estudos de caso: a galera Tejo, o galeão San José e o patrulha de alto mar Augusto Castilho

26. Cartas arqueológicas subaquáticas

27. Envolvimento, disseminação, apropriação, valorização

28. Reservas arqueológicas subaquáticas e parques arqueológicos

 

Bibliografia

ALVES, Francisco, ed. (2001) Proceedings of the International Symposium on Archaeology of Medieval and Modern Ships of Iberian-Atlantic Tradition – Hull Remains, Manuscripts and Ethnographic Sources: A Comparative Approach. Trabalhos de Arqueologia, 18: 4. Lisboa: Instituto Português de Arqueologia.

BASCH, Lucien (1972) Ancient Wrecks and the archaeology of ships. The International Journal of Nautical Archaeology and Underwater Exploration, 1, pp. 1-58.

CASTRO, Filipe (2005) The Pepper wreck: a portuguese Indiaman at the mouth of the Tagus river. College Station: Texas A&M University Press.

DOMINGUES, Francisco Contente (2004) Os navios do Mar Oceano: teoria e empiria na arquitectura naval portuguesa dos séculos XVI e XVII. Lisboa: Centro de História da Universidade de Lisboa.

GOMES, M.V., CASIMIRO, T.M. e GONÇALVES, J. (2012) – Espólio do naufrágio da Ponta do Leme Velho – Ilha do Sal, Cabo Verde, Lisboa: Instituto de Arqueologia e Paleociências das Universidades Nova de Lisboa e do Algarve.

POMEY, Patrice, RIETH, Eric (2005) L’archéologie navale. Paris: Editions Errance.

POMEY, Patrice, RIETH, Eric (1999) Construction navale maritime et fluviale. Approches archéologique, historique et ethnographique. Actes du Septième Colloque International d’Archéologie Navale, île Tatihou 1994 (Archaeonautica, 14, 1998). Paris: CNRS Editions.

RIETH, E. (1998) Concevoir et construire des navires. De la trière au picoteaux (Technologies, Idéologies, Pratiques, XIII, 1). Ramonville Saint-Agne : Editions Ères.

RÚBIO SERRANO, Jose (1991) Arquitectura de las naos y galeones de las flotas de Indias, vols. I e II. Malaga: Ediciones Seyer.

STEFFY, J. R. (1994) Wooden Shipbuilding and the Interpretation of Shipwrecks. College Station: Texas A&M University Press.

___________________________________

Alexandre Paiva Monteiro é doutorando em História, especialidade Arqueologia, na Faculdade de Ciências Sociais e Humanas da Universidade Nova de Lisboa (NOVA FCSH), onde foi docente convidado das disciplinas de Arqueologia Náutica Marítima e Fluvial, de Arqueologia Contemporânea e de Arqueologia Marítima (Projeto) do curso de licenciatura em Arqueologia na mesma faculdade. Encontra-se a elaborar tese sobre a perda na Austrália da galera portuguesa Correio da Ásia (1816). É membro da Academia de Marinha e ainda investigador associado dos Institutos de Arqueologia e Paleociências e de História Contemporânea da Universidade NOVA de Lisboa bem como do Center for Maritime Archaeology and Conservation da Texas A&M University. Licenciado em Arqueologia, dirigiu ou co-dirigiu trabalhos de mitigação de impacte ambiental sobre o património cultural subaquático dos Açores. É autor ou co-autor de quase três dezenas de artigos científicos e de mais de uma centena de textos de divulgação ao grande público.

 

Tânia Manuel Casimiro formou-se em 2004 em História, Variante de Arqueologia, pela NOVA FCSH e em 2005 em Artefact Studies na University College of London. Tendo terminando o doutoramento em 2011 é atualmente Doutorada Integrada no Instituto de Arqueologia e Paleociências e no Instituto de História Contemporânea e bolseira de pós-doutoramento da Fundação para a Ciência e Tecnologia. A sua grande área de especialização é a cerâmica de época moderna e contemporânea e, em especial, a sua distribuição mundial com mais de sessenta livros e artigos publicados sobre o assunto. Participa em projetos de investigação internacionais, nomeadamente em Inglaterra, Canadá, Estados Unidos, Brasil, Omã e Cabo Verde, entre outros países.

Topo da Página