foradelinha    Trabalhos variados Reportagens 07  
     Revista das cadeiras do atelier de jornalismo e cyberjornalismo da FCSH-UNL  EMAIL    
    secções  |  login  |   pesquisa  |  atelier jornalismo <  
 
     
      “Que se lixe a troika”, dizem os portugueses
A manifestação contra a troika reuniu milhares de cidadãos na Praça D. Pedro IV, em Lisboa.


 
  Os apoiantes da causa "que se lixe a troika" marcharam desde a Praça de D. Pedro IV até São Bento, entoando cânticos contra o atual governo, que consideram culpado pelo estado do país. O protesto moveu milhares de pessoas, sendo que muitas delas se foram juntando à multidão enquanto esta se dirigia ao seu destino. A marcha foi marcada por cartazes e faixas onde podiam ler-se frases, versos e sátiras relacionados com os atuais governantes portugueses, a quem acusam de roubar o povo.

Descontentamento face à crise financeira e às consequentes medidas de austeridade que têm vindo a marcar Portugal nos últimos anos foi a razão principal pela qual os cidadãos aderiram ao protesto. Pela cidade, ecoavam canções com letras como “FMI, fora daqui” ou “está na hora do governo ir embora”, entoadas por cidadãos portugueses de todas as idades e até mesmo imigrantes. A manifestação marcou a diferença pela presença de uma fila de deficientes físicos em cadeiras de rodas, segurando também eles cartazes onde deixaram transparecer a indignação que os levou a protestar.

Nuno, um dos participantes da manifestação, diz temer que “não haja Portugal” para as gerações futuras e alerta os portugueses para que se apercebam da gravidade do estado do país. Já António, que assistia à passagem da manifestação, lembra que, ainda que valha a pena lutar, só haverá mudança quando o povo aderir massivamente aos protestos.

O protesto, que foi difundido através de cartazes e redes sociais, foi também divulgado através de uma falsa manifestação de apoio à troika, levada a cabo pelos organizadores do evento, no passado dia 21.

     
artigos relacionados:

     
Vera Pimenta
verapimenta@live.com.pt