foradelinha    Trabalhos variados Reportagens 07  
     Revista das cadeiras do atelier de jornalismo e cyberjornalismo da FCSH-UNL  EMAIL    
    secções  |  login  |   pesquisa  |  atelier jornalismo <  
 
     
      Aniversário da Culturgest celebrado com exposição em língua portuguesa


 
imagem retirada de http://lisboa-livre.blogspot.pt 

Pormenor da obra "Oh la la, oh la balançoire/Microcosmos tentacular", 2004, de Susanne Themlitz
  No âmbito do vigésimo aniversário da Culturgest, a sede da Caixa Geral de Depósitos inaugurou no dia 11 de Outubro, a exposição "Sentido em Deriva". As obras exibidas serão apenas as que correspondem, exclusivamente, a autores portugueses, brasileiros e pertencentes aos PALOP. Esta colecção permanecerá disponível ao público até ao dia 12 de Janeiro de 2014.

A Caixa Geral de Depósitos celebra, desta maneira, os 20 anos da Cuturgest, exibindo mais uma vez a sua colecção de arte moderna, contudo o espólio apresentado reserva-se unicamente ao período entre 1960 e a actualidade, integrando pintura, escultura e audiovisual.

Dividida em cinco núcleos diferentes, distribuídos por oito salas, a exposição tem uma certa lógica definida pelo curador Bruno Marchand, nunca pondo de parte a experiência do visitante: "Sem centro, sem o princípio e um fim lógicos, cada um destes núcleos é um território cuja identidade é evidente, mas cujos limites são difusos", assegura, daí o próprio nome da exposição.

Esta é, sem dúvida, uma exposição rica em heterogeneidade e por isto, a cada núcleo de obras está associada uma ideia-chave: no primeiro a ideia de travessia ou passagem, no segundo de espelho ou duplo, na terceiro o contraste entre a vida e a morte, no quarto a sinestesia. O último núcleo não pode, no entanto, ser visitado em Lisboa, correspondendo à exposição de doze obras na sala da Culturgest no Porto. Devido à dimensão reduzida deste espaço, apenas uma obra isoladamente será apresentada a cada semana, mantendo sempre uma relação estreita com a exposição em Lisboa.

Todas as obras, em Lisboa, se manterão expostas até 12 de Janeiro, sendo que a entrada na exposição será sempre gratuita aos fins-de-semana. a Caixa Geral de Depósitos e a Culturgest convidam-nos assim, na voz de Bruno Marchand, a visitar esta exposição onde a "responsabilidade última é do que vê e não do que cria".

     
artigos relacionados:

     
Susana Laires
laires@hotmail.com