Cib erjornalismo                              1999/2000
UNova

Página Inicial Programa Tarefas Links Úteis Bibliografia Aula 18

Aula1
Aula2
Aula3
Aula4
Aula5
Aula6
Aula7
Aula8
Aula9
Aula10
Aula11
Aula12
Aula13
Aula14
Aula15A
Aula16
Aula17
Aula18
Aula19
Aula20
Aula21
Aula22
Aula23
Aula24
Aula25

Trabalhos
Trabalhos
dos alunos

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

pin_azul.gif (941 bytes) Sumário

O lead e a sua importância. Os vários tipos de lead. Vantagens e desvantagens de cada um. Exemplos. LEITURAS.

pin_azul.gif (941 bytes) O lead e a sua importância

O lead estabelece (*)

  • A voz - é através do lead que o leitor percebe o tom (a voz) de toda a história que vai começar a ler
  • O tema - o conteúdo de toda a peça
  • O significado - a importância do que está escrito
  • A perspectiva - o ponto de vista do autor e a forma como deve ser lido
  • A autoridade - a autoridade do autor da peça
  • A espinha dorsal - a estrutura de todo o texto
  • A direcção - para onde avança a história
  • Os limites - o que está dentro e o que não está
  • As dimensões - o tamanho e a forma da peça
  • As proporções - o peso de cada uma das partes
  • O ritmo - a velocidade a que se vai avançar
  • O género - a estrutura tradicional em que se encaixa o texto
  • A estrutura - como é que vão ser respondidas as questões do leitor

O lead deve ser (*)

  • Honesto - O lead é um contrato com o leitor que não pode ser quebrado
  • Simples - Não pode confundir o leitor
  • Imediato - Para prender o leitor
  • Informativo - Para que o leitor se sinta interessado
  • Marcado por uma voz - Para iniciar de imediato um diálogo com o leitor

pin_azul.gif (941 bytes) Os vários tipos de lead (*)

  • Declaração directa - Diz, de imediato, o tema do texto
  • Episódio - Pequena história ilustrativa
  • Citação - De alguém importante para o texto
  • Notícia - Quem, o quê, quando, onde, como
  • Detalhe informativo - Interessa o leitor através de um pequeno detalhe
  • Diálogo - Apresenta o conflito através da posição de duas ou mais pessoas
  • Surpresa - Sem enganar o leitor, o texto surpreende-o
  • Descritivo - Um lugar, um processo
  • Atmosfera - Um clima, uma situação
  • Cara - Para revelar uma personagem central à história
  • Cena - Combinação de lugares, pessoas e acção
  • Primeira pessoa - Não muito utilizado, pode ajudar a cativar o leitor
  • Tensão - Um conflito
  • Problema - A questão, directamente
  • Processo - A passagem de uma lei, a vitória num jogo, etc.
  • Pergunta retórica - Não funciona, porque muitas vezes o leitor já sabe a resposta
  • Background - Não muito eficaz
  • Introdução - Bom para artigos académicos, dificilmente funciona

 

pin_azul.gif (941 bytes) LEITURAS

  • BOUCHER, Jean-Dominique, A Reportagem Escrita, Mem Martins, Editorial Inquérito, s/d.
  • FRANKLIN, Jon, Writing for Story, New York, Mentor - The Penguin Group, 1987.
  • STEWART, James B., Follow the Story – How to Write Successful Nonfiction, NewYork, Simon and Schuster, 1998.

 

____________________________
(*) MURRAY, Donald, A Writer Teaches Writing, Boston, Houghton Mifflin Company, 1985.

© Copyright, António Granado, 2000                                                                                                                                            setatopo.gif (818 bytes)
Última actualização: 30 Mai 2000